É possível existir relâmpago sem trovão?

de Gustavo Teixera 0

O raio é uma das forças mais espetaculares da Terra. Uma tempestade vívida e enérgica pode amedrontar qualquer um próximo o suficiente para ver essas exibições intensas do poder bruto da natureza.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

A aproximação de uma tempestade é inconfundível, às vezes você ouve o som do trovão antes mesmo de ver algumas nuvens. Mas isso nem sempre é o caso. Sendo assim, é possível ter um relâmpago sem nenhum trovão? O relâmpago é uma descarga estática na atmosfera. Cristais de gelo e gotas de água saltando em torno de uma tempestade criam eletricidade estática que resulta em diferentes camadas de cargas elétricas positivas e negativas em toda a nuvem e no chão.

Como todos os eventos climáticos, o relâmpago é apenas a tentativa da natureza de equilibrar as coisas, sendo que neste caso, está tentando equilibrar um campo elétrico irregular na atmosfera. Você pode ver alguns tipos diferentes de relâmpagos durante uma tempestade. O tipo com o qual estamos mais familiarizados é o relâmpago da nuvem para a terra, que pode se originar da base das nuvens, carregado negativamente, ou do alto da tempestade, carregado positivamente.

Enquanto todos os raios são perigosos, os ataques positivos são os mais perigosos porque são muito mais fortes do que os raios carregados negativamente, e podem atingir até dezenas de quilômetros de uma tempestade.Nós vemos geralmente raios de nuvem para nuvem, raios dentro da mesma nuvem, e raios que se estende de uma nuvem ao ar em torno dele. Não importa de onde sai ou o que atinge: o raio é quente.

Na verdade, o raio médio é muitas vezes mais quente do que a superfície do Sol. Mesmo que a maioria dos raios só dure uma fração de segundo, essas temperaturas extremas ainda aquecem o ar em torno do raio. Este ar superaquecido se expande rapidamente na forma de um estrondo sonoro, que é o estrondo de trovão que ouvimos e às vezes sentimos. Isso responde nossa pergunta: todo o relâmpago cria o trovão, pois todo relâmpago é quente o bastante produzir essa perturbação. Mas, como sempre, há um problema.

e-possivel-existir-raio-sem-trovao_1
Um flash de relâmpago em uma tempestade no horizonte. Crédito da imagem: Snakeyes-man via Flickr // CC BY-NC-ND 2.0

Mesmo que todos os relâmpagos criem trovões, você pode ver um raio sem ouvir o trovão. O som do trovão dissipa-se enquanto se afasta do relâmpago, viajando, ou antes mesmo do relâmpago terminar. Você pode ver o flash de um relâmpago em uma tempestade mais de 160 quilômetros de distância de sua localização. Se você tiver uma boa visão do horizonte em um dia de tempestade, pode ver dezenas de relâmpagos que piscam nas nuvens à distância sem nunca ouvir o trovão.

Este fenômeno é incorretamente chamado de “relâmpago de calor”, como as pessoas costumavam pensar que era o ar quente e abafado causando o relâmpago em vez de uma tempestade no horizonte. O ambiente em torno de você também pode afetar o quão bem você ouve o trovão. Chuva forte ou neve podem amortecer o som e reduzir a distância pela qual ele pode viajar.

Características como montanhas, vales e edifícios podem abafar o trovão ou fazer com que ele fique mais alto. Diferentes camadas de temperaturas do ar podem até mesmo amplificar o som do trovão, e uma inversão de temperatura – como por exemplo ar quente preso entre duas camadas de ar mais frio que ocorre perto de uma tempestade – pode causar um fenômeno raro conhecido como “canalização”, que permite uma forte fissura de trovão que viaja através da inversão de dezenas de quilômetros, muitas vezes, assustando as pessoas que pensam que acabaram de ouvir uma explosão ao invés de uma tempestade a muitos quilômetros de distância.

[ Mental Floss ] [ Fotos: Reprodução / Flickr / Flickr  ]

Jornal Ciência