Dinossauro “blindado” de 110 milhões de anos usou camuflagem para confundir seus inimigos

de Merelyn Cerqueira 0

dinossauro-blindado_4

Cientistas descobriram que um dinossauro, provisoriamente nomeado como Borealopelta markmitchelli, utilizou uma forma de camuflagem em sua pele grossa e escamosa para se proteger de seus inimigos, apesar de sua aparência ser de um “tanque blindado de quatro patas”.

 

Os restos fossilizados e bem preservados da criatura de 110 milhões de anos, que tinha o tamanho de um rinoceronte, foram encontrados por um minerador canadense em 2011, e atualmente encontra-se em exposição no Royal Tyrrell Museum of Paleontology, no Canadá, de acordo com informações do Daily Mail.

dinossauro-blindado

O fóssil, considerado o mais bem preservado do tipo, foi encontrado pelo minerador Shawn Funk, enquanto trabalhava em uma mina em Suncor Millenium, no norte de Alberta, Canadá, no dia 21 de março de 2011. A ossada da criatura foi enviada diretamente ao museu de paleontologia, onde foi estudada seis anos seguintes.

 

Após o final do árduo trabalho, especialistas agora estudam nomear o animal como B. markmitchelli, uma vez que o técnico do museu, Mark Mitchell, junto a sua equipe, passou mais de 7.000 horas estudando o espécime.

dinossauro-blindado_1

A incrível preservação do fóssil possibilitou a uma equipe internacional de pesquisadores, juntamente com Dr. Mitchell, documentar o padrão e forma das escamas “blindadas” do animal.

 

Se você olhar de relance poderia quase acreditar que ele está dormindo“, disse um dos autores do estudo, Caleb Brown, cientista do Museu Royal Tyrrell. “Ele vai ficar na história como um dos espécimes de dinossauro mais bonitos e melhor preservados – basicamente a Mona Lisa dos dinossauros“.

dinossauro-blindado_2

dinossauro-blindado_3

Ao analisar a pele da criatura, os pesquisadores descobriram que o dinossauro, que era um herbívoro, fazia uso de um método de defesa comum dentro do reino animal, particularmente entre espécies menores. Análises químicas revelaram que ele possuía a pele mais escura na parte de cima do corpo, o que indicava um sinal de evolução para camuflagem, tendo em vista que ele provavelmente era bem caçado pelos outros. Isso permitia que ele se misturasse melhor nos arredores, evitando os inimigos.

 

Embora a camuflagem não seja novidade no reino animal, o achado é surpreendente porque o tamanho do Borealopelta excede em muito os dos animais que se camuflam hoje, como as zebras e cervos, por exemplo. Isso sugere que o dinossauro foi caçado o suficiente para que a evolução lhe favorecesse uma forma de sobrevivência.

dinossauro-blindado_4

 

A forte predação em um dinossauro maciço e fortemente blindado ilustra o quão perigoso os predadores do Cretáceo devem ter sido“, disse Brown.

 

O Borealopelta, que foi associado à família dos nodossauros, viveu entre 110 e 112 milhões de anos atrás. A espécie tinha em média, aproximadamente, cinco metros de comprimento e 1.300 kg. Os pesquisadores acreditam que eles atravessaram o que agora é a região ocidental do Canadá, até que uma grande inundação os varreu para o mar aberto. Logo, uma vez dentro deste aterro submarino, o corpo do animal foi preservado em detalhes.

 

As descobertas foram publicadas na revista Current Biology.

[ Daily Mail ] [ Fotos: Reprodução / Daily Mail ]