Siameses unidos pela cabeça serão submetidos à delicada cirurgia de separação

de Merelyn Cerqueira 0

“Um em 2,5 milhões nascimentos”: é a estimativa de vezes que gêmeos craniopagus nascem. Ainda, cerca de 40% deles são natimortos e, dos que sobrevivem ao nascimento, cerca de um terço morre 24 horas depois.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Anias e Jadon McDonald nasceram unidos pela cabeça. Os pais, que são de Illinois, Chicago, levaram os filhos até o Bronx, Nova York, para uma delicada cirurgia que provavelmente durará cerca de 20 horas. Como será realizada com um dos especialistas mais conceituados do mundo, todo o procedimento custará cerca de 2,5 milhões de dólares, segundo informações do jornal inglês Daily Mail.

siamesas-unidas-pela-cabeca_03

As crianças nasceram por meio de uma cesariana em setembro do ano passado. Mesmo estando unidos pela coroa da cabeça, os pais, Nicole, de 31 anos e Christian, 37, insistem que os meninos são perfeitos. Porém, para lhe proporcionarem uma vida normal, eles decidiram procurar ajuda de um dos mais conceituados cirurgiões do mundo, Dr. James Goodrich, a fim de executar uma operação de separação. O médico em questão, já havia realizado o mesmo procedimento em 2004, no Montefiore Hospital, Bronx.

A mãe ainda está dividida entre mantê-los como estão ou correr o risco da cirurgia, extremamente delicada, admitindo que já se acostumou com os filhos nesta condição.

siamesas-unidas-pela-cabeca_04

Com base em estatísticas nacionais, é espantoso que os meninos tenham atingido os 13 meses de vida, uma vez que, em 40% dos casos, os gêmeos craniopagus já nascem mortos ou morrem pouco tempo depois do parto. Ainda, se sobrevivem até este ponto, eles ainda correm o risco de morrer até a idade de dois anos, se não forem separados. Por outro lado, a separação significa que um ou ambos podem sofrer complicações de desenvolvimento. “Sabemos definitivamente que esta é uma possibilidade real, mas ainda amaremos nossos filhos”, disse o pai.

siamesas-unidas-pela-cabeca_05

O procedimento de separação será realizado por Dr. Goodrich, um neurocirurgião especializado em gêmeos unidos pela cabeça e depois pelo cirurgião plástico Dr. Oren Tepper, que entrará na sala apenas para reconstruir os crânios e costurar as cabeças. A equipe passou meses praticando e planejando a estratégia em modelos físicos em 3D da cabeça dos meninos, bem como versões computadorizadas para que pudessem vislumbrar diferentes cenários.

siamesas-unidas-pela-cabeca_01

Em entrevista à CNN, Dr. Goodrich reafirmou a complexidade do procedimento, dizendo que o sistema vascular – no qual terá de mexer – é especialmente complexo. Após a operação, as crianças ainda passarão cerca de 72 horas na UTI e em seguida, serão encaminhados para reabilitação. O médico garantiu que as habilidades de fala não serão afetadas, uma vez que está lidando com uma região do cérebro que não está associada a isso. No entanto, eles correm o risco na questão do movimento. “Eles não têm esse controle porque nunca se sentaram ou engatinharam”.

Grande parte do valor da cirurgia, de 2,5 milhões de dólares, será pago pelo seguro de saúde da família. No entanto, os pais ainda precisam de ajuda financeira para cobrir uma quantia de 100 mil dólares, de modo que criaram uma página para doação no site GoFundMe.

[ Daily Mail ] [ Fotos: Reprodução / Daily Mail ]

Jornal Ciência