Pesquisadores descobrem nova molécula que pode representar a cura da calvície

De acordo com os cientistas, um microRNA é a chave para promover a regeneração capilar.

de Osmairo Valverde 0

O estudo é da Universidade da Carolina do Norte, nos EUA. Os pesquisadores descobriram que um tipo de microRNA (chamado miR-218-5p), consegue desempenhar importantíssimo papel na regeneração dos folículos capilares.

Isso pode representar uma nova esperança sem precedentes para a elaboração de um novo medicamento com potencial de ajudar a paralisar o processo de queda dos cabelos e, até mesmo, reverter a calvície.

O crescimento dos cabelos é dependente da saúde das células das papilas dérmicas. Elas são responsáveis por regularem o ciclo de crescimento do cabelo nos folículos. Atualmente, vários tratamentos estéticos são considerados ineficazes para conseguir parar a queda de cabelo e estimular o crescimento de novos fios.

Antigamente, imaginava-se que uma pessoa com calvície (vulgarmente chamada de “careca”) não possuía mais folículos capilares. Mas, a ciência já provou em pesquisas recentes que os folículos capilares não desaparecem na calvície, apenas encolhem e se contraem.

Esperança para a calvície

A pesquisa mostra que, se os cientistas fossem capazes de recuperar as células das papilas dérmicas, seria possível reverter a calvície. E, ao que tudo indica, foi exatamente isso que eles conseguiram.

Ke Cheng, um dos principais autores do estudo, professor de medicina regenerativa, mostrou que a molécula miR-218-5p é capaz de reverter o processo, fazendo as células das papilas dérmicas crescerem em normalidade.

Os cientistas compreenderam que, ao aumentar os níveis de MiR-218-5p no corpo humano, é possível impedir a queda de cabelo, estimulando assim seu crescimento.

“Nós estávamos interessados em ver como as células dermatológicas regulam o processo de crescimento dos folículos, então procuramos por exossomos ou, especificamente, MicroRNAs exossômicos…”, disse Ke Cheng.

Exossomos são estruturas em forma de “bolsas” que ficam acopladas às células contendo diversas moléculas em seu interior, incluindo MicroRNAs. A pesquisa mostrou que em apenas 15 dias os camundongos que possuíam a MiR-218-5p recuperaram até 90% da cobertura capilar, revertendo assim a calvície.

O estudo, publicado na Science Advances, pode representar o início de algo que é esperado por milhões de pessoas ao redor do mundo: a cura da calvície.

“Esse MicroRNA pode ser utilizado na fabricação de medicamentos. Potencialmente, ele possibilita a criação de cremes ou loções que auxiliem no crescimento dos cabelos”, afirma Cheng.

Apesar da excelente notícia, o estudo ainda precisa ser avaliado por outros pesquisadores usando o mesmo princípio do estudo para validar as informações encontradas por Cheng.

Fonte: Medical Xpress Fotos: Reprodução / Pixabay

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!