Mau hálito: causas, sintomas e tratamento

de Merelyn Cerqueira 0

O cheiro ruim da boca pode sugerir algo muito mais grave do que uma simples ingestão de cebola, alho ou ter acabado de acordar. O chamado “bafo”, pode ser um alerta sobre doenças na gengiva, boca seca ou uma série de condições médicas consideráveis.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

As cavidades e sulcos profundos da língua servem como reservatório para as bactérias que comumente associamos ao crescimento de placa. Elas são capazes de produzir compostos sulfurados voláteis que promovem o mau hálito, ou halitose. Logo, uma boca fétida pode ser um sinal de alerta para doenças na gengiva, causadas pela placa bacteriana, segundo informações da Live ScienceBasicamente, a melhor maneira de prevenção ainda é a escovação dos dentes e da língua para ajudar a eliminar as bactérias ruins.

Fator fio dental

Dentistas, muitas das vezes, recomendam o uso de fio dental para atingir os locais que as cerdas das escovas não alcançam. No entanto, nenhuma pesquisa científica específica já foi realizada para medir os benefícios proporcionados pelo uso diário do fio dental. Porém, em um estudo realizado em grupos de gêmeos de idades entre 12 e 21 anos, Walter Bretz, professor associado da New York University College of Dentistry, recrutou dois grupos de voluntários. Um primeiro, que escovava dentes e língua regularmente e um segundo, que fazia o mesmo, mas com a adição do fio dental.

Após duas semanas de observação, o grupo que utilizou fio dental apresentou melhor hálito e menor sangramento gengival do que os que não o utilizaram. Os resultados foram publicados em 2006 no Journal of Periodontology.

Bafo de alho

Às vezes, nem mesmo o fio dental pode ajudar a melhorar o mau hálito. Apenas uma pequena mordida em certos alimentos já pode desencadear o cheiro ruim na boca, que pode durar por muito tempo após a refeição. Também, os alimentos são absorvidos pela corrente sanguínea e viajam para os pulmões, deixando a respiração ainda mais desagradável.

Bochechos com enxaguantes bucais e mascar chiclete podem mascarar o hálito ruim por um certo tempo, mas o mau cheiro continuará ali até que o todo o alimento seja passado.

Mau hálito como sinal de alerta

Uma boca saudável geralmente indica um corpo saudável. Por exemplo, cientistas correlacionam Gengivite com doenças cardíacas. Ainda, pesquisas realizadas já sinalizam que problemas de saúde podem resultar em halitose. De acordo com o dentista Louis Malcmacher, que atende em Cleveland, Ohio, “o mau hálito não é brincadeira e pode realmente ser uma indicação de problemas de saúde mais graves, como infecções”.

A boca seca, uma condição que ocorre quando o organismo não produz saliva, impedindo que o corpo “lave” as bactérias para fora da boca. O fato é que, durante a noite, todos nós sofremos com isso. Ninguém produz saliva enquanto dorme, e é justamente por isso que o mau hálito matinal ocorre.

Pacientes com câncer submetidos à radioterapia apresentam boca seca com mais frequência. A situação fica ainda pior em idosos. De acordo com Bretz, com a boca seca vem a dificuldade em engolir, o que pode causar broncoaspiração – quando alimento, saliva ou secreção, ao invés de ir para o estômago, penetra a laringe até chegar aos pulmões. Quando isso ocorre, o paciente corre o risco de desenvolver pneumonia. Condições como insuficiência renal, diabetes, alterações hormonais e problemas pulmonares também podem causar halitose. O cigarro também pode ser responsável pelo mau hálito em fumantes.

Alimentação

Problemas estomacais, bem como dificuldade de metabolizar ácidos graxos e constipação também podem contribuir para o mau hálito. Estes, no entanto, são efeitos causados por uma dieta inadequada. Um estudo realizado pela Escola de Saúde Pública da Universidade de Minnesota descobriu que dietas com poucos carboidratos podem provocar halitose.

Segundo Bretz, se você estiver preocupado com a condição de seu hálito o ideal é procurar ajuda de especialistas, dentistas ou periodontistas. Além disso, ele recomenda a escovação com escovas elétricas, pois limpam de forma mais eficiente. Utilizar fio dental regularmente e enxaguantes bucais com flúor, também ajuda a prevenir as cáries.

[ Live Science ] [ Foto: Reprodução / Flickr ]

Jornal Ciência