Aparição de peixe-remo é vista com prelúdio de terremotos nas Filipinas

de Merelyn Cerqueira 0

Os regalecos (Regalecusglesne), também conhecidos como peixe-remo ou rei-dos-arenques, possuem a aparência de uma gigante serpente marinha.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

 

Medindo aproximadamente 15 metros de comprimento, nas Filipinas eles são descritos como “mensageiros do mar”, uma vez que os povos acreditam que a aparição deles pode ser o prenúncio de terremotos.

3D9220EE00000578-4252426-image-a-28_1487853328977

Um número relativamente grande destas bizarras criaturas, que normalmente vivem a profundidades de mais de 1.000 metros, foi encontrado morto ao longo da costa do país. Muitos moradores e alguns cientistas acreditam que essas “serpentes marinhas” sejam levadas para as praias por meio de fortes correntes de água que precedem terremotos.

3D9220E600000578-4252426-image-a-29_1487853429577

A exemplo disso, neste mês, um gigante regaleco foi encontrado em uma praia na região de Agusan del Norte, apenas dias antes de um terremoto de magnitude 6.3 devastar a ilha de Mindanao em 11 de fevereiro. O evento provocou a morte de oito pessoas, deixando cerca de 200 feridas. Logo, uma discussão ainda maior sobre a relação dos peixes com o fenômeno natural surgiu.

3D92086C00000578-4252426-image-a-27_1487852363498

A última aparição ocorreu no final de semana passado, quando uma das criaturas, medindo pouco mais de quatro metros foi encontrada morta em uma praia da cidade de Cagayan de Oro. Um funcionário do Instituto Filipino de Vulcanologia e Sismologia (Phivolcs), disse que um terremoto semelhante ao do início do mês poderia acontecer na cidade a qualquer momento.

 

Isso não é para assustar as pessoas, mas disseminar consciência e incentivar unidades do governo local a colaborar conosco e para que saibam o que deve ser feito”, disse o diretor regional da Phivolcs, Marcial Labininay ao sunstar.com. Ele rejeitou as afirmações de que a relação entre os peixes e os terremotos seja baseada em superstições.

3D9220E200000578-4252426-image-a-32_1487853640289

Cientistas já sugeriram que esta espécie de peixe pode ser empurrada para a plataforma continental por meio de correntes fortes. A primeira aparição de um regaleco foi registrada em 1772. Considerados os peixes mais longos do mundo, costumam se alimentar de crustáceos. Possuem coloração azul, roxa e vermelha, mas perdem a cor quando morrem.

 

Vivendo a profundidades de até 1.000 metros, raramente são vistos na superfície, a não ser que estejam mortos ou morrendo. Como vivem em profundidades tão extremas, é difícil fazer pesquisas sobre a espécie.

[ Daily Mail ] [ Fotos: Reprodução / Daily Mail ]

Jornal Ciência