Anvisa manda recolher chocolates Kinder após lotes contaminados chegarem ao Brasil; saiba o que fazer

A fabricante brasileira informou ter identificado, sendo vendido no Brasil, lotes dos produtos contaminados fabricados na Europa importados por terceiros

de Redação Jornal Ciência 0

Um novo pedido feito pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), realizado ontem (24/04), e publicado nesta quinta-feira (28/04) no Diário Oficial, pede que chocolates da Kinder, fabricados na Bélgica, sejam recolhidos.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

A medida ocorreu após a Ferrero do Brasil reconhecer que lotes de chocolates fabricados na Bélgica, contaminados com a bactéria Salmonella, chegaram ao Brasil.

A empresa disse que o produto em questão é o Schoko-Bons, que foi importado da Europa por terceiros, de forma independente, sem nenhum vínculo com a Ferrero e sem que a empresa tivesse conhecimento. Os produtos importados estavam à venda no Brasil em dezenas de lojas on-line.  

Apesar de não serem vendidos no Brasil pela Ferrero, o Jornal Ciência apurou que era possível encontrar facilmente produtos Kinder Schoko-Bons à venda em lojas famosas na internet.

Nossa apuração encontrou ofertas na Amazon (produto fora do ar) Shopee (produto fora do ar), Americanas (sem estoque disponível, mas à venda através de parceria com as Lojas Emix), Duty Free Brasil (sem estoque disponível), Mercado Livre (venda pausada) e dezenas de outras.

Se você comprou algum destes produtos, olhe no rótulo, atrás. Caso tenha sido fabricado na Bélgica, não coma e não venda o produto e entre em contato com a Ferrero do Brasil

A resolução da decisão da Anvisa orienta a proibição da comercialização, importação, distribuição e consumo dos chocolates Kinder fabricados na Bélgica.

A Anvisa informou que o produto Schoko-Bons é vendido nos sabores cacau e branco, em embalagens de 46g, 125g, 200g e 300g. A Ferrero iniciou de forma voluntária e preventiva o recolhimento destes produtos.

“Caso o consumidor tenha adquirido o produto, a recomendação é verificar se o país de fabricação é a Bélgica. Em caso positivo, a orientação é de não consumir o chocolate e entrar em contato com o Serviço de Atendimento ao Consumidor da Ferrero, para troca ou reembolso, pelo telefone 0800 701 6595, e e-mail [email protected], disse a empresa.

O surto da bactéria Salmonella typhimurium, encontrada em lotes de produtos da empresa fabricados na Bélgica, foram vendidos ao menos para 11 países.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) disse que, até o momento, 151 casos foram oficialmente relatados de contaminação com relação direta ao consumo dos chocolates.

O que diz a Ferrero do Brasil?

A empresa disse que, apesar de não comercializar o chocolate Schoko-Bons no Brasil, decidiu fazer um recall voluntário de forma preventiva.

“A Ferrero do Brasil informa que comunicou às autoridades sua decisão de proceder a um recall voluntário e preventivo de qualquer versão do produto Kinder Schoko-Bons, fabricados na Bélgica. Apesar da companhia não importar nem comercializar este produto no país, tomamos conhecimento de que uma empresa terceira, com a qual não mantemos relação comercial, importou de forma independente Schoko-Bons que fazem parte de recall conduzido no exterior e, assim, podem apresentar potencial contaminação por salmonela”, disse a fabricante.

“A Resolução nº 1.321, da Anvisa, publicada nesta quarta-feira, apenas formaliza o recolhimento voluntário e preventivo apresentado espontaneamente pela Ferrero do Brasil dos produtos belgas, pautando sempre sua conduta em proteção à segurança dos consumidores e qualidade dos seus produtos”, concluiu.

Imagens: Divulgação

Jornal Ciência