Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Antidepressivos podem impedir que câncer de próstata se espalhe para os ossos

de Julia Moretto 0

Antidepressivos podem parar a propagação do câncer de próstata para os ossos, processo responsável por 90%das mortes decorrentes da doença.

 

Os cientistas descobriram que um produto químico ligado à depressão pode ajudar o câncer de próstata a invadir os ossos. A proteína no cérebro, que corta os níveis de “hormônios felizes”, no entanto, foi bloqueada por uma droga chamada clorgyline, semelhante aos antidepressivos tradicionais. A cada ano, mais de 46.600 homens no Reino Unido são diagnosticados com câncer de próstata e cerca de 11.000 morrem da doença. 

 

A metástase do câncer de próstata se espalha para os ossos em nove a cada 10 casos fatais.A descoberta em camundongos poderia preparar o caminho para um tratamento mais avançado. Quando reduzimos esta expressão enzimática em células de câncer de próstata, encontramos uma metástase óssea de câncer de próstata menor”, disse Dr. Jason Wu, da Washington State University, nos Estados Unidos.”Por outro lado, se expressarmos esta enzima em células de câncer de próstata, encontramos aumento da metástase óssea em camundongos”.

 

Nossas descobertas fornecem uma racionalidade para prosseguir o novo uso desses medicamentos antidepressivos ‘antigos’para beneficiar os pacientes com câncer de próstata em estágio tardio com sinais e sintomas de metástase“, completou. A proteína MAOA tem sido associada com a depressão, uma vez que reduz os níveis de hormônio regulador do humor no cérebro, incluindo serotonina e dopamina. 

 

Tipos mais antigos de antidepressivos foram projetados para atingi-lo.Os cientistas agora descobriram que essas substâncias ativam sinais que tornam mais fácil que as células tumorais cresçam no osso. Os resultados aparecem na revista Cancer CellDr. Wu reconheceu que não houve estudos clínicos relatando taxas mais baixas de câncer de próstata em pessoas que tomam antidepressivos. Nossos estudos fornecem resultados promissores em ratos, que merecem mais investigação, como o ajuste da formulação, dose e via de entrega de inibidores MAOA, antes da aplicação clínica final”, acrescentou.

 

É bom ver pesquisas como esta, explorando diferentes caminhos e escolas de pensamento.No entanto, estamos incrivelmente longe de saber se drogas como esta poderia pôr fim às células de cancro da próstata se espalhando para o osso na realidade”, disse Dr. Iain Frame, diretor de pesquisa da Prostate Cancer UKSão necessários muitos mais anos de pesquisa antes que possamos dizer com alguma confiança se as ideias aqui propostas realmente fariam a diferença para os homens“, completou.

[ Daily Mail ] [ Fotos: Reprodução / Daily Mail ] 

Jornal Ciência