Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Menino era considerado “o mais burro da cidade”, até que finalmente entenderam o que estava acontecendo

de Redação Jornal Ciência 0

Um menino com idade entre 8 e 10 anos certo dia entrou em uma barbearia. Ao ver a criança, o barbeiro do local cochichou ao ouvido do cliente que atendia: “Este é o menino mais burro da cidade. Veja o que ele vai escolher”.

O barbeiro então chamou o menino, mas não antes de tirar uma nota de cinco reais do bolso e três moedas de um real – colocando a nota em uma das mãos e as moedas em outra. “Qual você escolhe, filho?”, disse o homem. O menino sequer respondeu. Pegou as moedas e saiu da barbearia.

Rindo da situação, o barbeiro virou novamente ao seu cliente e disse: “O que eu disse? Esse menino não vai aprender nunca”. Após terminar o corte e sair do estabelecimento, o cliente viu o menino saindo de uma sorveteria. Intrigado, foi perguntar a ele o motivo de sua escolha. “Ei, menino! Posso fazer uma pergunta”, disse. “Porque você escolheu as moedas ao invés da nota de cinco?”.

Segurando seu sorvete e orgulhoso de sua inteligência, ele respondeu: “Porque o dia que eu pegar a nota, a brincadeira acaba”. A moral da história? Nunca desvalorize ou menospreze alguém caso essa pessoa tenha uma atitude diferente da que você espera. Ela pode ser muito mais inteligente do que você imagina.

Fonte: UC Fotos: Reprodução / UC

Jornal Ciência