Gigantesco buraco no Chile não para de aumentar e pode entrar em colapso, alertam autoridades

O problema do misterioso buraco que surgiu no deserto do Atacama parece estar longe de acabar

de Redação Jornal Ciência 0

O misterioso buraco gigante que surgiu no deserto do Atacama, no Chile, continua sendo um enorme problema para os órgãos governamentais do país.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

O sumidouro corre risco de entrar em colapso e “desabar”, o que aumentaria enormemente o seu tamanho — e os riscos para a população — alertam as autoridades locais da cidade de Tierra Amarilla, com 15 mil habitantes, que pediram que o perímetro de distância do local seja aumentado para evitar possíveis acidentes.

O surgimento do enorme sumidouro ocorreu no final de julho e, desde então, especialistas, cientistas, agências do governo chileno e os responsáveis pela empresa de mineração na região tentam entender o que teria ocorrido.

O buraco tem formato quase perfeitamente circular. Inicialmente, seu diâmetro era de 25 metros e possuía 64 metros de profundidade, mas o sumidouro continuou crescendo e atualmente está com 36,5 metros de diâmetro e mais de 200 metros de profundidade.

A mina de cobre, a Lundin Mining, que é canadense, está proibida de operar por orientação do Serviço Nacional de Geologia e Mineração do Chile (Sernageomin). Esta agência governamental busca entender os mistérios sobre o que causou o buraco, mas já avisou que ele continuará se expandindo.

A previsão é que seu tamanho se estabilize quando o diâmetro da superfície for equivalente ao diâmetro do fundo. Geólogos, que deram entrevistas à BBC, explicam que estes sumidouros podem ter causas naturais, como intensas chuvas ou a influência de atividades mineradoras.

A empresa Lundin Mining afirmou à Reuters que estudos aprofundados precisam ser realizados para entender a causa e origem do sumidouro — isso significa que talvez a atividade mineradora não tenha sido a culpada pelo aparecimento. O mistério continua sem uma explicação oficial.

Fonte(s): BBC / Reuter Imagens: Reprodução / Twitter

Jornal Ciência