Buraco gigante de origem desconhecida, com 200 metros de profundidade, surge no Chile; veja vídeo

de Redação Jornal Ciência 0

Autoridades do Chile estão investigando o aparecimento de um sumidouro no deserto do Atacama, com 25 metros de diâmetro e mais de 200 metros de profundidade.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

O buraco teria surgido no último sábado (30/07) e as imagens foram divulgadas na segunda-feira (01/08), através de filmagens da mídia chilena e agências de notícia.

O sumidouro está nas áreas operadas por uma mina de cobre, a Lundin Mining, que é canadense. O Serviço Nacional de Geologia e Mineração está encarregado de investigar o que pode ter ocorrido para surgir este evento geológico.

Não há comprovação, até o momento, de que o enorme buraco surgiu pela mineração, já que não existe nada dentro dele que comprove atividade da empresa. O fundo está repleto de água. Os pesquisadores disseram que a água favorece o aumento do buraco, atualmente com 25 metros de diâmetro — o que preocupa a população local.

A empresa Lundin Mining está investigando o sumidouro. A cidade mais próxima está a quase 1 km de distância, o que preocupa o prefeito Cristóbal Zúñiga, que expressou sua indignação no Facebook.

“Estamos preocupados, pois é um medo que sempre tivemos como comunidade, o fato de estarmos cercados por jazidas de mineração e obras subterrâneas sob nossa comunidade”, disse.

O prefeito salientou ainda que o sumidouro está crescendo e pediu respostas das autoridades: “Solicitamos que seja possível esclarecer qual o motivo e porque ocorreu este evento, quais os motivos, se o colapso é produto da atividade mineira abaixo ou se é de outra natureza”.

Fonte(s): New York Post Imagens: Reprodução / New York Post

Jornal Ciência