Conheça as surpreendentes cobras “voadoras”

de Gustavo Teixera 0

Dizer que cobras podem voar parece loucura. Mas, a seleção natural fez com que algumas espécies de cobras do sul e sudeste da Ásia desenvolvessem a habilidade de planar.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

 

Para realizar tal façanha, elas utilizam a forte corrente de ar que é comum da região. Elas se contorcem e se sustentam no ar, usando a velocidade de queda livre. Intrigados, cientistas realizaram um estudo para descobrir como e porque essas cobras desenvolveram tal habilidade. Os resultados mostraram que antes de a cobra se lançar no ar, existe uma preparação que consiste em deslizar até o fim de um ramo e se balançar em forma de “J”.

paratreesnake

Após isso, ela toma impulso no ramo com a metade de baixo de seu corpo e se contorce rapidamente ficando em formato de “S”. Assim, ela fica achatada e sua largura dobra de tamanho. Quando elas entram em queda livre, ficam em formato de C, pois nessa posição a cobra fica aprisionada no ar, e com movimento ondulatório, elas podem até realizar curvas enquanto planam. Existem cinco tipos de cobras capazes de fazer isso, uma delas é a Chrysopelea paradisi.

 

Os cientistas e pesquisadores pouco sabem sobre elas, mas acreditam que sejam arborícolas, ou seja, são animais que vivem nas árvores. Os maiores espécimes medem aproximadamente 1,2 metro e os menores têm cerca de 60 centímetros. Elas se alimentam basicamente de pássaros, morcegos, sapos, lagartos e roedores. Apesar de serem venenosas, sua mordida é inofensiva aos seres humanos.

SERPIENTE-VOLADORA-2

Apesar dos cientistas não saberem exatamente por que essas cobras desenvolveram essa habilidade, eles acreditam que elas usem tal característica para escapar de predadores, surpreender suas presas e até mesmo passar de uma árvore para outra sem ter que rastejar pelo chão das florestas.

[ Diário de Biologia ] [ Fotos: Reprodução / Diário de Biologia ]

Jornal Ciência