TOP 07 curiosidades sobre os polvos que talvez você não soubesse!

de Julia Moretto 0

O mar abriga espécies incríveis que ainda estão sendo estudadas pelo homem. Os polvos, por exemplo, são famosos nos oceanos e trazem como característica principal os seus oito braços e cabeças bulbosas.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Mas as peculiaridades deste animal vão muito além disso: eles possuem três corações, sangue azul, esguicham tinta para deter os predadores e são muito inteligentes. Além disso, para eles, o sexo lembra a morte.  

Descrição

De acordo com a Fundação Mundial do Animal, a ordem Octopoda inclui 289 espécies. Já a palavra “octopus” vem do grego Oktopus e significa “oito pés”, segundo um artigo publicado pela revista Smithsonian, que simplificou as informações do livro “Octopus! The Most Mysterious Creature in the Sea” (“Polvos! A mais misteriosa criatura do mar”, ainda não disponível em português), de Katherine Harmon Courage.

Outra curiosidade é que a maioria das espécies de polvo possui ventosas na parte inferior de cada tentáculo, dando a impressão que cada braço possui uma cabeça pensante.

Ainda segundo o artigo, dois terços dos neurônios de um polvo estão em seus braços, isso significa que ele pode realizar duas tarefas distintas, uma em cada braço, como por exemplo, explorar uma nova caverna enquanto abre um molusco.

Eles também possuem um ótimo tato, segundo a Fundação Mundial do Animal. De acordo com a National Geographic, a grande maioria dos polvos, não tem esqueleto interno ou conchas protetoras, o que lhes permite se espremer em pequenos lugares. Mandíbulas poderosas e salivas venenosas, também são curiosidades que estão presentes em alguns polvos.

Três corações

Segundo a World Animal Foundation, um polvo tem três corações com funções distintas. Enquanto um bombeia o sangue através dos seus órgãos, os outros dois bombeiam sangue para suas brânquias. Já a tonalidade azulada em seu sangue é causada por uma proteína à base de cobre chamada hemocianina.

Tamanho

Os polvos possuem tamanhos variados. O polvo comum (Octopus vulgaris) tem de 30,5 a 91,4 centímetros de comprimento e pesa de 3 a 10 kg. Já o polvo gigante do Pacífico (Enteroctopus dofleini) é considerado o maior e geralmente crescem até 5 metros de comprimento e peso em torno de 50 kg – embora já tenha sido registrado um exemplar com 9,8 metros e 136 kg.

Em contrapartida, o menor polvo é o Wolfi Octopus. A espécie é menor que uma polegada (2,5 cm) de comprimento e pesa menos do que um grama.

Habitat

É possível encontrar polvos nos oceanos de todo o mundo. A grande maioria é pelágica, ou seja, vive perto da superfície da água em conchas, corais e fendas. Outras espécies podem ser encontradas no fundo do oceano, fazendo suas casas foras de cavernas.

Hábitos

polvoOs polvos são em sua grande maioria animais solitários. Algumas espécies caçam à noite enquanto outras optam pela caça no período da manhã ou da tarde. 

De acordo com o artigo da Smithsonian, quando assustado, dispara um líquido escuro na direção do predador. Esse líquido deixará seu inimigo cego por uns instantes, oferecendo tempo suficiente para o polvo nadar para longe.

Outro aspecto peculiar do animal é o poder de mudança de cor. Eles podem ficar azul, cinza, rosa, marrom ou verde. As mudanças são feitas para ele se esconder de algum predador, se camuflando.

O polvo mímico também pode flexionar o corpo com a intensão de se parecer com animais mais perigosos, tais como enguias e peixe-leão, de acordo com a World Animal Foundation.

Outra habilidade singular dos polvos, segundo a National Geographic, é que caso os polvos sejam pegos e percam os braços, eles podem regenerá-los. Também são nadadores rápidos, porém optam por nadar lentamente no fundo do mar.

Dieta

Como animais carnívoros, os polvos se alimentam de mariscos, camarões, lagostas, peixes, tubarões e pássaros. Eles normalmente envolvem suas presas com os tentáculos e as puxam em direção à boca.

Longevidade e reprodução

Os polvos têm vida curta. Algumas espécies vivem apenas seis meses, outras, como o polvo gigante do Pacífico Norte, podem viver até cinco anos. Segundo a World Animal Foundation, quanto maior o polvo, maior seu tempo de vida.

Logo após acasalar, os polvos morrem. Durante a reprodução, um macho oferece esperma através da inserção de um tentáculo especial (normalmente o terceiro braço direito) para dentro da cavidade do manto do sexo feminino, de acordo com a World Foundation. Segundo informações adicionais do artigo da Smithsonian, muitas vezes o polvo literalmente entrega o esperma para a fêmea.

As fêmeas colocam geralmente 200.000 a 400.000 ovos. Ela guarda os ovos até que choquem e muitas vezes param de se alimentar. Segundo o artigo Smithsonian, após a eclosão dos ovos, seu corpo gira sobre ela e acaba passando por um suicídio celular, que rasga através de seus tecidos e órgãos, até que ela morre. Enquanto isso, o macho nada pelo oceano e morre em poucos meses.

Os polvos bebês são chamados de larvas. Eles se alimentam de plâncton e outras larvas de animais até amadurecerem. Segundo a Fundação Mundial do Animal, enquanto estão se alimentando, correm o risco de virarem presas para outros animais maiores que tenham uma dieta parecida.

Fonte: Live Science Fotos: Reprodução / Wikipédia / Flickr 

Jornal Ciência