Safira com 510 kg estimada em R$ 518 milhões é descoberta em quintal, no Sri Lanka

Com 510 kg, o aglomerado é considerado o maior do mundo e recebeu mais de 50 ofertas de compradores internacionais

de Redação Jornal Ciência 0

Comerciante, identificado apenas como Sr. Gamage, encontrou em seu quintal, na cidade de Ratnapura, no Sri Lanka, uma inacreditável rocha que, posteriormente, soube ser um exemplar raríssimo de 510 kg de safira — a maior do mundo até então.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

O valor inicial de cotação no mercado de gemas preciosas é de 100 milhões de dólares, algo equivalente a mais de R$ 518 milhões; pelo menos 50 compradores já demonstraram interesse em comprá-la.

De acordo com informações do portal News In Asia, ela foi batizada de “Safira da Serendipidade” — uma palavra de origem inglesa que refere-se “à descoberta de coisas boas por acaso”.

Na verdade, trata-se de um aglomerado de safiras, transformando o “todo” em algo gigantesco. A joia foi encontrada há mais de um ano, mas seu dono decidiu escondê-la e não tocar no assunto. Somente nesta semana resolveu divulgar à imprensa sua descoberta.

Dois motivos levaram o Sr. Gamage esconder a safira: o primeiro foi pelo caos em meio à pandemia da Covid-19. O outro foi a expectativa que, devido à raridade, a safira pudesse ser vendida por 1 bilhão de dólares — algo superior a R$ 5 bilhões!

Exemplo de safira azul estrela, encontrada em abundância no Sri Lanka. Foto: Reprodução / Shutterstock

O tesouro foi encontrado quando o comerciante contratou um trabalhador para escavar um poço em seu quintal, mas logo depois foi avisado por ele que existiam pedras preciosas ali. Cavando um pouco mais, encontrou uma imensa rocha.

“A pessoa que estava cavando o poço nos alertou sobre algumas pedras raras. Mais tarde, encontramos esse enorme espécime”, comentou o Sr. Gamage em entrevista concedida à BBC.

Durante um ano escondida, a pedra preciosa foi limpa e retirada do local de origem. Safiras aglomeradas em rochas são cotadas no mercado internacional de joias como sendo de alta qualidade.

“Nunca vi um espécime tão grande antes. Ele provavelmente foi formado há cerca de 400 milhões de anos”, disse o gemologista Gamini Zoysa em declaração à BBC.

Especialista do país em joias, Thilak Weerasinghe, presidente da Autoridade Nacional de Joias e Gemas do Sri Lanka, afirmou tratar-se de uma safira estrela, talvez a maior do planeta. Pela raridade, possivelmente será adquirida por bilionários para coleções particulares ou por museus.

Safira azul estrela. Foto: Reprodução / Shutterstock

O país possui forte comércio de pedras preciosas e tem como base de maior venda a safira estrela. Em 2016 o maior recorde de safira azul estrela do mundo também foi batido no Sri Lanka, pesando apenas 280,8 gramas. À época, a gema preciosa foi estimada em R$ 400 milhões.

Baseado nisso que o Sr. Gamage acredita que a nova safira gigantesca poderá atingir o patamar de bilhões durante as negociações.

Fonte(s): BBC / NDTV Imagens: Divulgação e Shutterstock / Shuttestock

Jornal Ciência