Quase 1 em cada 2 homens pode ter HPV, segundo estudo

de Julia Moretto 0

Se você não foi vacinado contra o HPV – papilomavírus humano –, provavelmente vai querer marcar uma consulta com o seu médico após a leitura. Um novo estudo descobriu que até 45% dos homens americanos podem ter algum tipo de HPV.

 

Nos homens, as infecções por HPV raramente apresentam sintomas e muitas vezes podem ser solucionadas sem interferência. Porém, o estudo constatou que 25% dos homens podem ter o tipo de HPV ligado ao câncer. A equipe, liderada por Jasmine Han, chefe de oncologia ginecológica no Womack Army Medical Centre na Carolina do Norte, relata que não só as taxas de infecção pelo HPV parecem altas nos homens, mas as taxas de vacinação são preocupantemente baixas: apenas 10,7% dos entrevistados tinham sido vacinados contra o HPV.

 

Entre os homens com idades entre 18 e 59 anos nos Estados Unidos, a prevalência global da infecção genital por HPV foi de 45,2%”, relata a equipe. “A prevalência geral de infecção por HPV genital parece estar generalizada entre todos os grupos etários de homens, e o número de vacinação contra HPV é baixo”.

 

Os resultados são baseados em uma amostra representativa nacional de 1.868 homens, que participaram da Pesquisa Nacional de Saúde e Nutrição dos EUA, conduzida pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) entre 2013 e 2014. Quando Han e sua equipe analisaram especificamente a prevalência global da infecção genital por HPV, descobriram que as infecções eram “generalizadas” entre todos os grupos etários.

 

Enquanto quase todas as pessoas sexualmente ativas possuem papilomavírus humano (HPV) em algum momento de sua vida, o vírus pode sofrer alteração no corpo, causando uma série de cânceres, incluindo cervical, anal e de garganta. De acordo com o CDC, os casos de câncer de garganta em homens norte-americanos já ultrapassaram os casos de câncer cervical em mulheres, o que é uma preocupação, visto que existe uma vacina disponível que protege contra as estirpes de HPV. Estima-se que 72% dos cânceres da garganta nos homens e 91% dos cânceres cervicais nas mulheres sejam causados ​​por HPV.

 

Também é importante ter em mente que o HPV é sexualmente transmitido, ou seja, você pode estar passando um risco de câncer para seu parceiro. HPV é a mais comum infecção sexualmente transmissível nos Estados Unidos. Estudos epidemiológicos estabeleceram a infecção pelo HPV como a principal causa de vários cânceres”, relata a equipe. “Estima-se que mais de 9.000 casos de câncer relacionados ao HPV ocorram anualmente nos homens, sendo o vírus responsável por 63% de câncer no pênis, 91% dos anais e 72% dos cânceres orofaríngeos”.

 

Eles também apontam que ter uma infecção por HPV de “baixo risco” possui consequências. O HPV é responsável por 90% das verrugas genitais e estima-se que 160.000 homens sejam afetados anualmente por essas estirpes. Sem analisar todos os homens, não é possível ter 100% de certeza sobre as taxas de infecção. Mas como essa amostra foi selecionada de modo a representar o máximo possível da população pelo Centro Nacional de Estatísticas de Saúde do CDC, o resultado é uma boa indicação do que realmente estaria acontecendo.

 

O relatório não apresenta apenas más notícias – os pesquisadores descobriram que a prevalência global da infecção pelo HPV foi menor entre os homens com idades entre 18 e 22 anos. A vacinação contra o HPV masculino pode ter um efeito maior sobre a transmissão do HPV e sobre a prevenção do câncer em homens e mulheres do que previamente estimado”, conclui a equipe.

 

O estudo é restrito aos homens norte-americanos, por isso, não está claro se as taxas de HPV do sexo masculino são semelhantes em outras partes do mundo, mas uma vacina do tipo está disponível na Austrália.

 

O estudo foi publicado na JAMA Oncology.

[ Science Alert ] [ Fotos: Reprodução / Wikipédia ]

 

Notícias diretamente no seu WhatsApp

Salve (61) 983026534, mande "oi" pelo WhatsApp e receba notícias, curiosidades e conteúdos incríveis do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Obs: É necessário salvar o número e enviar “oi” no WhatsApp para validar o cadastro. Em nenhuma hipótese enviaremos spam ou publicidade. Já são 25.550 leitores cadastrados. É gratuito!

Jornal Ciência