Homem morre após “selar o pênis” com forte adesivo epóxi por não ter camisinha

Ele buscava “selar” o pênis para se proteger durante o ato sexual após esquecer o preservativo

de Redação Jornal Ciência 0

Salman Mirza, de 25 anos, aplicou adesivo epóxi para revestir seus órgãos genitais e impedir que sua noiva, e mais uma mulher que estava com o casal, pudessem engravidar.

O casal se hospedou em um hotel no bairro de Juhapura, na cidade de Ahmedabad, estado de Gujarat, na Índia. As informações foram divulgadas na última terça-feira (24/08), no jornal The Times of India.

O casal esperou a segunda parceira chegar e, na hora da relação sexual, percebeu que não tinha comprado preservativos. Então, encontrou adesivo epóxi e decidiu usá-lo na esperança de que isso pudesse “revestir” o pênis e funcionar como uma barreira de proteção.  

Os relatos policiais contam que ele foi encontrado inconsciente e levado a um hospital próximo, mas acabou falecendo logo depois.

O exame no corpo que mostra a exata causa da morte ainda não foi divulgado, mas médicos acreditam que o acidente tenha ocorrido por dois fatores perigosos.

A causa provável foi o uso de drogas somado a possível absorção de substâncias tóxicas do epóxi, já que o pênis ereto está vasodilatado, facilitando a absorção e entrada de substâncias no sangue através da pele.

O adesivo epóxi de nível industrial é usado especialmente para ancoragens em concreto, trincas e diversos defeitos em superfícies. É usado largamente na construção civil, na indústria de automóveis e até navios. Mas, também existem os de uso doméstico para pequenos reparos de peças mais delicadas.

É importante salientar que muitos tipos de adesivo epóxi apresentam características tóxicas e precisam ser manuseados seguindo estritamente as orientações de cada fabricante.  

Fonte(s): The Sun  / Metro UK Imagens: Reprodução

Jornal Ciência