Corrente de Retorno: Entenda por que é perigoso entrar no mar em determinadas partes

de Redação Jornal Ciência 0

O verão é a estação do ano mais esperada em qualquer parte do mundo, especialmente por estar associado ao mar e praias. Porém, você não pode deixar que este momento seja estragado por alguns descuidos. 

Uma forma de evitar é saber identificar quando o mar está com ondas de risco. Chamada de “Rip Current” ou Corrente de Retorno, acontece quando a forma do chão submarino ocasiona um movimento na água que rompe a onda. Isso resulta na criação de canal por onde a onda retorna, chegando à velocidade de até 5 metros por segundo.

Captura-de-pantalla-2017-01-18-a-las-12.31.13-p.m.

Elas são muito comuns na costa chilena, porém podem ocorrer em qualquer praia do mundo. Buscando alertar sobre o perigo, o site Lun escreveu um artigo dizendo que se você ficar preso em uma dessas correntes, há chances de arriscar a sua vida tentando sair.

“Se trata de algo muito perigoso que no verão costuma matar muita gente”, disse a geógrafa Carolina Martínez.

A melhor forma de prevenção é conseguir identificá-las antes mesmo de entrar no mar. Elas podem parecer seguras, já que muitas vezes são ondas pequenas. Na costa, se forma uma espécie de lagoa e as ondas chegam cortadas e, muitas vezes, buracos são formados embaixo d’água.

rip-current-florida

“A zona onde se produz faz com que as ondas sejam um pouco mais baixas e faz com que as pessoas pensem que seja seguro, mas o mar as puxa. É a corrente que joga você mar adentro, portanto, fiquem longe”, disse o doutor em Oceanografia Física, Samuel Hormazábal. 

Normalmente, o banhista está no mar quando, de repente, o mar começa a puxá-lo em uma velocidade de 2 a 5 metros por segundo. O banhista tenta nadar contra a corrente, mas ela é tão forte que ele acaba perdendo as energias. 

Captura-de-pantalla-2017-01-18-a-las-12.29.30-p.m.

É importante reforçar que esse fenômeno pode acontecer em diversas praias ao redor do mundo — especialmente as encravadas entre duas extremidades rochosas e com fundo irregular. 

Caso entre em uma situação de perigo como esta, nunca nade em direção ao buraco, em direção à praia. Tente se locomover para os lados, assim você sairá da zona de perigo sem realizar tanto esforço.

Fonte(s): News Medical Imagens: Divulgação

Jornal Ciência