Explosão misteriosa de ondas de rádio se repete de forma cronometrada no espaço

Astrônomos batizaram a fonte do fenômeno de FRB 121102

de Redação Jornal Ciência 0

No início deste ano, astrônomos anunciaram uma descoberta deslumbrante. Uma onda rápida de rádio, chamada FRB 121102, não estava apenas se repetindo – tal repetição acontecia em um ciclo “programado”.

Durante 67 dias, a fonte fica em silêncio. Então, ela acorda novamente e, por 90 dias, produz repetidas ondas de rádio de milissegundos antes de parar. Após 157 dias, o ciclo se repete.

O mais intrigante, porém, é que esses ruídos são extremamente misteriosos e não havia garantia de que o ciclo continuaria. Portanto, é impressionante que a fonte tenha entrado em ação novamente, no mesmo momento previsto pelos astrônomos.

Isso sugere que existe um valor significativo no monitoramento de fontes conhecidas de rádio – mas também em continuar a observar a FRB 121102 para tentar entender o que poderia estar causando o fenômeno.

Uma atualização rápida: rajadas rápidas de rádio são, como o nome sugere, ondas com apenas alguns milissegundos de duração, vindo de galáxias de milhões a bilhões de anos-luz de distância. Mas elas também são extremamente poderosas; dentro desses milissegundos, podem descarregar tanta energia quanto centenas de milhões de sóis.

Na maioria das vezes, elas aparecem apenas uma vez, tornando-as impossíveis de serem previstas e muito difíceis de se rastrear. E, apesar de não sabermos a sua causa, evidências recentes apontam fortemente para um tipo de estrela de nêutrons chamada magnetares.

Mas as ondas de rádio, que foram detectadas se repetindo, podem ser a chave para resolver, pelo menos parcialmente, o mistério.

Antes de seu ciclo ser descoberto pelo astrônomo Kaustubh Rajwade, da Universidade de Manchester e sua equipe, a FRB 121102 já era famosa desde 2012 por ser a explosão de rádio rápida mais ativa, quando foi descoberta.

E, agora, a periodicidade é apoiada por novos conjuntos de observações – embora o tempo possa precisar de revisão.

Uma equipe, liderada por Marilyn Cruces do Instituto Max Planck de Radioastronomia, detectou 36 rajadas de FRB 121102 usando o Radiotelescópio Effelsberg entre setembro de 2017 e junho de 2020. Combinando os dados com a pesquisa de Rajwade, a equipe obteve uma periodicidade de 161 dias. Este documento fornece datas entre 9 de julho e 14 de outubro de 2020 para o período ativo da fonte.

Mas Cruces e sua equipe não são os únicos observando o fenômeno. Outro time, liderado por Pei Wang, do Observatório Nacional de Astronomia da China, usou o telescópio FAST para monitorar a localização da FRB 121102 em várias datas entre março e agosto de 2020.

Entre meados de março e o final de julho, eles não detectaram nenhuma explosão. Mas, no dia 17 de agosto, o FAST detectou pelo menos 12 rajadas de FRB 121102 – sugerindo que a fonte está, mais uma vez, em fase ativa – embora a equipe tenha calculado uma periodicidade diferente da equipe de Rajwade e da equipe de Cruces.

De acordo com os cálculos da equipe de Wang, a fase ativa deve terminar entre 31 de agosto e 9 de setembro de 2020. Se a FRB 121102 continuar a mostrar atividade além dessas datas, isso pode sugerir que a periodicidade não é real ou que, de alguma forma, ela evoluiu.

Também é possível que os cálculos de periodicidade precisem ser “refinados”. O que significa que devemos continuar a ficar de olho na FRB 121102. “Nós estamos aumentando os esforços de monitoramento de acompanhamento com outros observatórios”, escreveram os pesquisadores.

Fonte: Science Alert Fotos: Reprodução / Science Alert

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!