Estudo diz que um quarto da população mundial tem tuberculose latente

de Julia Moretto 0

Nos países ricos, a Tuberculose é vista como coisa do passado. Mas globalmente, ela é a principal causa de morte infecciosa, tendo feito 1,8 milhão de vítimas em 2015.

A infecção com a bactéria que causa a Tuberculose não costuma resultar em doença. Geralmente, apenas 10% das pessoas infectadas desenvolvem a enfermidade. Mas, isso pode ocorrer muito tempo após a infecção. O outro lado disso é que a infecção latente com Mycobacterium tuberculosis é muito mais comum do que a doença. E segundo os especialistas, um terço das pessoas no mundo carrega a bactéria em seus corpos.

No entanto, o último estudo para estimar o número de infecções por Tuberculose Latente foi há 20 anos. Desde então, muitas coisas mudaram. A população mundial aumentou mais de 20%. Na China, por exemplo, a idade média foi aumentada em dez anos ao longo deste período. Ao mesmo tempo, as crianças representam quase metade da população nos países da África.

A número de pessoas com Tuberculose tem diminuído, apesar do aumento da contaminação com HIV. O desenvolvimento de novas formas de combate da infecção por Tuberculose Latente é agora visto como uma frente emergente no seu controle.

buraco-coronal_03

Em um novo estudo publicado na PLoS Medicine, a “força de infecção” da Tuberculose veio à tona novamente: há chance de um indivíduo se infectar em 180 países – equivalente a 99% da população. Segundo os pesquisadores, grande parte dessas infecções aconteceu em 1990. Depois desse período, usamos estimativas da Organização Mundial de Saúde sobre a prevalência da Tuberculose.

Aplicando estas tendências históricas no risco de infecção para as repartições demográficas de cada país, pudemos descobrir a proporção de pessoas em cada faixa etária suscetível a ter uma infecção por Tuberculose Latente.

Cerca de um quarto da população global atualmente tem uma infecção de Tuberculose Latente – cerca de 1,7 bilhão de pessoas. Mais de 80% desse índice está concentrado na Ásia e na África. Apesar disso, estima-se que cerca de 100 mil crianças – mais do que toda a população da Alemanha – já carregam essa infecção.

Novos diagnósticos são necessários para identificar indivíduos com Tuberculose Latente suscetíveis de evoluir para a doença. Essas ferramentas são necessárias para tratá-los de forma segura. Esse artigo foi publicado originalmente no The Conversation.

[ IFL Science ] [ Fotos: Reprodução / IFL Science ]

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!