Britânica, que sempre sonhou em ter olhos claros, fez cirurgia no Panamá e quase ficou cega

de Redação Jornal Ciência 0

A estudante de Londres quase ficou cega após realizar uma cirurgia de mudança da cor dos olhos.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Shenise Farrel viajou até o Panamá, na América Central, para realizar o procedimento que ainda não é regulamentado.

Ele consiste em, basicamente, cortar e inserir um disco de plástico colorido para esconder sua cor natural que é castanho claro e passar a imagem realista de ter olhos azuis.

Ela gastou mais de R$ 28 mil reais para realizar seu sonho, mas algo deu errado e ela correu o risco de ficar cega permanentemente.

Farrel decidiu realizar a cirurgia após pesquisar em vários países se existia a possibilidade de mudar a cor de seus olhos. Sua família ficou horrorizada com sua decisão de viajar até o Panamá para realizar um procedimento novo que não foi aprovado e é considerado experimental, embora seja feito livremente no país.

“Eu estava tão determinada a conseguir a cirurgia que nada me passou pela cabeça – nada óbvio”, disse.

O procedimento não foi bem sucedido e Shenise Farrell precisou retirar os implantes.

Ela sempre quis ter olhos castanhos em um tom claro, quase cor de mel. Chegando a clínica, foi informada pelo cirurgião que o estoque dessa cor havia acabado (algo nada profissional, visto que ela pagou a cirurgia e havia combinado a cor) e disse que iria implantar um disco azul no lugar. Apesar de não ter a cor de queria, acabou aceitando.

Ela comentou que durante a cirurgia gritou e o cirurgião disse que ela não poderia gritar ou algo de muito prejudicial poderia ocorrer.

Para sua enorme surpresa, o procedimento durou apenas 20 minutos e quando saiu da mesa de cirurgia percebeu que não podia enxergar direito: “Era como se eu tivesse olhando embaixo d’água”.

O cirurgião alertou que isso era normal e em algumas semanas sua visão voltaria a ser perfeita. Apesar da afirmação do médico, ao voltar para Londres, sua visão tornou-se cada vez mais turva.

Ela foi internada noCharing Cross Hospital, onde não conseguia nem preencher a ficha do oftalmologista. Os médicos ficaram chocados e disseram que nunca haviam visto algo assim. Imediatamente, a equipe decidiu retirar os implantes ou ela poderia ficar cega para sempre.

Após a cirurgia, ela foi capaz de enxergar novamente, mas sua visão permanecia embaçada. Só após 3 meses ela voltou ao normal.

“Agora que meus olhos estão de volta ao normal, eles são castanhos, mas não importa o tom se é castanho ou não. A principal coisa é que eu posso ver”, desabafou.

Fonte: Female Mag / Daily Mail Fotos: Reprodução / Female Mag

Jornal Ciência