Megacólon: homem sofre 3 meses com grave constipação, descobre doença rara e precisa retirar intestino

de Redação Jornal Ciência 0

Um paciente do Sri Lanka desenvolveu um megacólon provocado por uma condição muito rara que o deixou 3 meses constipado.

O homem, que não teve seu nome divulgado no estudo científico para preservar sua imagem, é morador de área rural, e sofria da rara Neoplasia Endócrina Múltipla Tipo 2B (abreviada como MEN2B), uma doença que pode provocar uma série de crescimentos de tumores na parte interna dos intestinos, afetando assim o movimento natural, chamado peristaltismo.

Ao chegar ao Hospital Nacional do Sri Lanka, na capital Colombo, ele informou que sentia fortes dores e evacuava raramente.

Após alguns exames, os médicos descobriram que seu intestino possuía movimentos muito lentos e grande dilatação, e o diagnosticaram com megacólon.

Depois de tentativas frustradas de tratar a MEN2B, a equipe médica decidiu que o melhor era a cirurgia de remoção do cólon (colectomia) – parte do intestino grosso. 

A Neoplasia Endócrina Múltipla Tipo 2B também pode afetar a língua com crescimentos tumorais. Foto: Divulgação / BMJ Case Reports

Após a cirurgia, o paciente conseguiu ter uma boa recuperação e terá que conviver com uma bolsa de colostomia, que fica anexada ao abdômen e precisa ser trocada com frequência.

O caso do paciente, que foi publicado na revista científica médica BMJ Case Reports, mostra a importância de buscar ajuda quando os primeiros sintomas aparecem e também revela a dificuldade de pacientes mais carentes pela falta de informação.

“O homem chegou ao hospital ‘mal-humorado’ e com distensão – termo médico para um ‘efeito balão’. Apesar de sofrer de constipação por longo tempo, restrições socioeconômicas impediram o paciente de procurar tratamento antes”, disse o Dr. Ashan Rabinath Fernando, cirurgião responsável pelo caso.

Imagem do megacólon do paciente após a abertura do abdômen. Foto: Divulgação / BMJ Case Reports

Exames posteriores mais detalhados mostraram que ele tinha também crescimento tumoral benigno nas pálpebras e lábios, além da língua que estava em tamanho anormal.

Ele também tinha sinais compatíveis com a Síndrome de Marfan, uma desordem genética que faz com que os membros do corpo (braços, pernas e também dedos das mãos e pés) cresçam além do que deveria – caracterizando o que é chamado de aracnodactilia.

O que é a Neoplasia Endócrina Múltipla Tipo 2B?

A prevalência da doença na população mundial não é clara, mas estima-se que 1 pessoa a cada 600 mil a 4 milhões é atingida por algum grau da doença. É uma condição genética que faz com que as glândulas se tornem hiperativas e produzam tumores.

Os tumores, geralmente, iniciam-se na tireoide ou nas suprarrenais (glândulas acima dos rins), e podem ser malignos em alguns casos – embora não seja o mais comum.

Outros sintomas do início da doença incluem detalhes sutis, como inchaço nos lábios, nas pálpebras e na língua. É comum também que portadores de MEN2B tenham braços longos, além de pernas e dedos, e articulações muito soltas.

Muitos especialistas recomendam a remoção da tireoide para prevenir o câncer assim que fazem o diagnóstico, ficando dependentes de tomarem diariamente os hormônios que a tireoide produz. 

O caso do paciente apresentado no estudo é muito incomum. Em geral, pacientes com MEN2B são diagnosticados com constipação crônica quando ainda são bebês, onde passam pela cirurgia de remoção do cólon na infância.

Fonte Médica Oficial: Centro de Informações sobre Doenças Genéticas e Raras – EUA.

Download PDF do estudo da BMJ Case Reports

Fonte: Daily Mail Foto de Capa: Montagem Jornal Ciência

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!
error: Proibida a cópia sem autorização.