Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Estudo mostra impactos negativos que ocorrem no corpo ao comer fast-food

de Merelyn Cerqueira 0

Segundo um estudo publicado na revista Cell, sobre como uma dieta rica em gordura e açúcar afeta o sistema imunológico, comer fast-food é como oferecer ao seu corpo uma infecção bacteriana. 

Cientistas descreveram alimentos com alto teor de gordura e caloria como “dieta ocidenta” e quando colocaram ratos nesse regime, observaram uma inflamação sistêmica que persistiu mesmo depois de os ratos voltarem para suas dietas normais.

As informações são da Medical Daily. A dieta não saudável levou a um aumento inesperado no número de certas células imunes no sangue dos ratos”, disse a pesquisadora Anette Christ, da Universidade de Bonn, na Alemanha.

Os alimentos usados para o estudo continham grandes quantidades de gordura e açúcar e nenhuma fibra. Assim, quando um rato o comia, a resposta inflamatória do sistema imunológico observada era semelhante ao que ocorria durante uma infecção bacteriana. 

Embora a inflamação tenha se dissipado no momento em que a dieta não saudável foi substituída por uma melhor, as mudanças genéticas causadas pela resposta imunológica agressiva permaneceram.

No entanto, este tipo de efeito persistente não é inédito, uma vez que já sabemos que o corpo usa uma espécie de “memória” de suas experiências passadas para se proteger melhor no futuro.

Assim, quando em risco de um patógeno perigoso, ele desbloqueia essas memórias para que as defesas do corpo possam gerar uma resposta mais rápida e efetiva.

O que o novo estudo fez então foi ampliar esse conceito com alimentos de fraco valor nutricional. “O fast-food fez com que o corpo rapidamente recrutasse um exército enorme e poderoso”, explicou a pesquisadora. 

Os cientistas afirmaram acreditar que a um sistema imunológico mais estimulado poderia ter graves consequências para a saúde, incluindo maior risco de diabetes e problemas cardíacos.

“Os fundamentos de uma dieta saudável precisam se tornar uma parte muito mais proeminente da educação do que atualmente”, disse o pesquisador Eicke Latz.

“Somente assim podemos imunizar as crianças em um estágio inicial contra as tentações da indústria de alimentos. As crianças têm a escolha do que comer todos os dias. Devemos habilitá-las a tomar decisões mais conscientes sobre seus hábitos alimentares“.

Fonte: Medical Daily Fotos: Reprodução / Jornal Ciência

Jornal Ciência