666: Entenda o verdadeiro significado sobre o famoso “número da besta”

de Merelyn Cerqueira 0

Se você já se dedicou a ler o capítulo final da Bíblia Sagrada, então está ciente que são muitas as criaturas mitológicas descritas ali, incluindo dragões, cavalos com cabeça de leão e é claro, bestas.

Apocalipse, também conhecido como “Livro da Revelação”, foi escrito pelo apóstolo João durante o século 1, e é composto por uma série de visões que essencialmente profetizam o fim do mundo.

Estas citações já foram utilizadas para explicar desastres naturais, como aquecimento global, e artificiais, como o acidente nuclear de Chernobyl, de acordo informações de reportagem da BBC.

Entre algumas das citações mais famosas do livro está o “número da besta” (666), onde lê-se: “Quem tiver discernimento, calcule o número da besta, pois é número de homem, e seu número é 666”. Logo, até os dias atuais o número é utilizado para referenciar o mal, embora a maioria das pessoas sequer saiba o que este número significa de fato.

Segundo cientistas estudiosos em textos bíblicos, quando João escreveu o livro, é possível que tenha utilizado códigos e símbolos para alertar os cristãos à época sobre a adoração ao imperador de Roma, bem como para provocar o poderoso regime.

Ainda, na Antiguidade, era comum utilizar números para esconder um nome. Nos alfabetos grego e hebraico, por exemplo, toda letra possui um número correspondente.

Conforme o exemplo fornecido pelo professor Ian Boxall, da Catholic University of America (CUA), em entrevista à BBC, temos o nome “Anna”, que no modelo numérico seria representado pelo número 102. Considere que, “A” vale 1 e “N” vale 50.

Logo, se escrevêssemos o nome do imperador Nero César, segundo o alfabeto hebraico, teríamos a seguinte equação: 200 + 60 + 100 + 50 + 6 + 200 + 50 = 666.

Considere ainda a hipótese de acadêmicos de que a perseguição de Nero aos cristãos de Roma fez com que ele fosse extremamente odiado pelos adoradores de Cristo.

Reconstituição gráfica de como seria o rosto do Imperador Nero. Foto: Divulgação/ Youtube / Salvador Ruano

666 ou 616?

Em 2005, a NASA desenvolveu um dispositivo capaz de ler com maior destreza a superfície de papiros. Logo, ao analisar um encontrado no Egito em 1897, possivelmente escrito no século III, descobriram uma versão diferente para o número da besta, que era 616.

Segundo historiadores, o número 666, na verdade, poderia se referir a um marco histórico, como a implantação de uma nova religião ou Era.

O número 666, cuja soma dos dígitos resulta em 18, que por sua vez divido por 2 resulta em 9, não condiz com a fama negativa de seu significado — que é creditado em muitos países o 13 como “número do azar”.

Por outro lado, se somarmos os dígitos de 616 teremos o 13, que está presente de maneira mais negativa na simbologia mística e para os que acreditam de forma não científica na numerologia, visto que a ciência não aceita este tipo de explicação.

Entretanto, embora a versão do papiro diga o contrário, o número mais aceito atualmente ainda é o 666, uma vez que está na Bíblia. Logo, ele seria um alerta sobre a adoração de falsos ídolos, como eram feitos aos imperadores à época.

Há uma tendência da grande maioria dos historiadores em admitir que o número de fato representa apenas o nome do imperador Nero César, de acordo com o alfabeto hebraico — fato defendido por diversos cientistas arqueólogos especialistas em religião.

Fonte(s): BBC Imagens: Divulgação

 

Notícias diretamente no seu WhatsApp

Salve (61) 983026534, mande "oi" pelo WhatsApp e receba notícias, curiosidades e conteúdos incríveis do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Obs: É necessário salvar o número e enviar “oi” no WhatsApp para validar o cadastro. Em nenhuma hipótese enviaremos spam ou publicidade. Já são 25.550 leitores cadastrados. É gratuito!

Jornal Ciência