TOP 7 coisas que a ciência tem a dizer sobre os segredos para se beber um vinho

de Merelyn Cerqueira 0

vinhos-estravagentes

 

Os amantes de vinho têm uma maneira especial de desfrutar um copo da bebida, seja decantando uma garrafa antes de servi-la, utilizando uma taça mais longa para degustá-lo ou girando-a antes de dar o primeiro gole.

 

No entanto, será que alguma dessas técnicas faz diferença? Bem, de acordo com as especialistas Susan Ebeler e Hildegarde Heymann, do Robert Mondavi Institute for Wine and Food, da Universidade da Califórnia, e Mandy Oser, sommelier e dona de uma adega em Nova York, em um vídeo produzido pela American Chemical Society e PBD Digital Studio, algumas dicas podem funcionar melhor do outras. Com informações da Science Alert.

 

Será que a forma do vidro realmente afeta o sabor do vinho?

Esta, de fato, é uma verdade. De acordo com Oser o estilo do vidro serve para ajudar a concentrar os aromas, o que ajuda a melhorar nossa experiência com determinado vinho.

 

Tenha em mente que, os “sabores” descritos pelas pessoas são na verdade aromas, logo, a ideia da forma da garrafa faz sentido.

 

Girar a taça de vinho aumenta o sabor?

Este é o mesmo caso do formato de taça para determinado tipo de vinho. No momento em que movimentamos o copo, uma quantidade a mais de oxigênio entra, bem como aumenta a capacidade da bebida de liberar mais aromas, essencialmente criando “sabores” mais distintos.

 

Será que as pessoas podem realmente saborear todos aqueles sabores estranhos?

É comum ouvirmos sabores como ameixa, baunilha, carvalho, chocolate, banana, tabaco e até mesmo gasolina. Embora soem estranhos para um vinho, eles são reais. A razão pela qual seja possível prová-los ou cheirá-los é que o vinho compartilha algumas das mesmas moléculas que representam o cheiro sentido. Estas podem vir das uvas ou do processo de produção.

O vinho precisa respirar antes de ser bebido?

Embora muita gente considere fazê-lo, aparentemente não é mais necessário para alguns tipos de vinho. De acordo com as especialistas, decantar era mais necessário quando estes continham grandes quantidades de dióxido de enxofre. Isso porque o dióxido de enxofre se transforma em sulfureto, que pode ser usado como conservante, embora mude o cheiro do produto. No entanto, este composto não é mais tão utilizado quanto costumava ser, o que sugere que não há problema em degustar a bebida logo após abrir a garrafa. Sendo assim, a necessidade de decantação segue apenas para os vinhos mais antigos.

 

Vinhos caros são melhores do que os baratos?

Para os mais abastados financeiramente não há problemas em pagar quantidades absurdas de dinheiro por uma garrafa de vinho. Mas, será que existe essa diferença?

 

Infelizmente ela existe, mas isso porque os vinhos mais caros são feitos de uvas mais saudáveis e em melhor forma antes de serem prensadas, elas também são manuseadas com mais cuidado – quase como se fossem bebês. Isso permite eliminar a presença de qualquer cheiro ruim que possa vir de frutas danificadas ou podres. Além disso, estes vinhos costumam envelhecer em barris de melhor qualidade, o que melhora ainda mais o “sabor”.

 

Contudo, isso não vale de nada se você realmente aprecia o sabor do vinho barato, até porque gosto é algo subjetivo, certo? Além disso, você pode acabar pagando caro em uma garrafa e não gostar do vinho. Tenha em mente que não é só porque o produto é caro que ele terá um sabor mágico.

 

Vinho vermelho deve ser servido em temperatura ambiente e o branco gelado?

Muita gente considera isso, mas este é apenas um mito. A temperatura é a medida de quão rápido as moléculas se movem em determinado ambiente. Quando colocamos um copo de vinho nesta equação devemos considerar que ao passo em que as moléculas se movem mais rápido, mais dos componentes do aroma podem escapar para o ar e chegar ao nosso nariz. Por outro lado, um vinho gelado terá menos sabor. Então, um vinho branco que foi refrigerado lhe dará menos de seu delicado sabor, enquanto um vermelho servido muito quente será bem poderoso ao nariz.

A temperatura ideal para os vinhos serem servidos, de acordo com as especialistas é de 15°C- 18°C para os vermelhos e 4°C – 10°C para os brancos.

 

Vinho vermelho para carnes vermelhas e branco para peixes? 

Talvez não. Oser considera que essas combinações são obsoletas, embora seja legal combinar o vinho considerando o tipo de tempero, e não apenas o tipo de carne.  A verdade, no entanto, é que é sua refeição e o seu gosto, então beba o que tiver vontade.

[ Science Alert ] [ Foto: Reprodução / Pixabay ]