Arqueólogos descobriram mais um dos segredos de Stonehenge

de Merelyn Cerqueira 0

Por quase 100 anos, a origem de Stonehenge tirou o sono de muitos arqueólogos. Em 1923, o geólogo Herbert Henry Thomas argumentou que as gigantes pedras de quase 50 toneladas se originaram na área de Mynydd Preseli, no litoral sul do País de Gales.

 

O problema, no entanto, era responder como construtores da Idade da Pedra teriam transportado tamanhos megalitos até Salisbury, no sul da Inglaterra, a partir da costa de Gales. Então, muitos estudiosos sugeriram que as pedras teriam sido transportadas através do mar.

Essa ideia, no entanto, foi refutada por um novo estudo publicado na revista Antiquity. De acordo com arqueólogos da Universidade de Leicester, no Reino Unido, a teoria de H. H. Thomas, embora influente, foi baseada em evidências pobres. O monumento megalítico de Stonehenge foi construído por um misterioso grupo de pessoas e em vários estágios ao longo dos séculos, com a primeira ocorrendo em algum momento após 3.000 a.C.

 

Existem dois tipos de pedras em Stonehenge, as “pedras azuis”, que são menores, e as maiores e mais icônicas, chamadas de pedras sarsen, consideradas as mais duras já encontradas no planeta. Exames de datação por radiocarbono sugerem que os primeiros arenitos foram criados entre 2400 a.C e 2200 a.C.

 

Embora a situação das pedras seja bem definida, a origem geográfica ainda era um mistério, afinal, como elas acabaram no sul da Inglaterra?

O novo estudo argumenta que muitas das evidências que Thomas confiava eram errôneas e limitadas. Com base em novas técnicas analíticas, incluindo microscopia de luz transmitida e refletida, eles verificaram que os megalitos vieram de Craig-Rhos-y-Felin e Carn Goedog, e não Mynydd Preseli, como antes era sabido.

 

Quanto ao mecanismo utilizado para mover as pedras a mais de 160 quilômetros de distância de seu ponto original, essa questão, por hora, continuará tirando o sono dos arqueólogos. Alguns pesquisadores sugerem que elas poderiam ter sido transportadas para a planície de Salisbury pelo movimento das geleiras.

Entretanto, a maioria dos arqueólogos argumenta que as pedras foram transportadas por um ser humano ativo, provavelmente usando numerosas redes de águas interiores e movimento de terras – embora tudo isso seja uma especulação e nada tenha, de fato, sido provado.

[ IFL Science ] [ Fotos: Reprodução / Wikipédia ]

deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado

Você pode usar tags e atributos em HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!