Vulcão no monte Sourabaya finalmente entra em erupção, mas apenas a NASA conseguiu ver

de Merelyn Cerqueira 0

Localizado a 1,9 km a noroeste de Monte Darnley, nas Ilhas Sandwich do Sul, a 2.776 km a sudeste de Buenos Aires, o monte Sourabaya finalmente entrou em erupção.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Foram relatadas duas explosões, seguidas de um show espetacular de lavas ardentes e incandescentes, nos dias 24 de abril e primeiro de maio. O fato é que isso aconteceu pela primeira vez em 60 anos e por estar localizado em uma remota ilha dentro do Atlântico Sul, apenas os satélites da NASA conseguiram observar.

Esses tipos de erupções vulcânicas que acontecem em lugares distantes, como o Atlântico Sul, costumam passar despercebidas. Porém, com advento dos satélites e monitoramento sísmico, os cientistas conseguiram ter uma nova visão sobre os eventos vulcânicos em todo o mundo, conforme relatou a NASA.

A cerca de 1.100 metros de altura, o monte Sourabaya é caracterizado como um estratovulcão – um vulcão de formato cônico formado de magma extravasado e cinzas. Ele geralmente é coberto de gelo glacial e neve, o que, segundo a NASA, fornece pistas do porque é desabitado.

As imagens foram obtidas através do The Operational Land Imager (OLI) pelo satélite Landsat 8, que forneceram imagens em falsa cor durante as erupções. Cada uma mostra a parte mais quente do vulcão, provavelmente a lava, identificada pelo ponto vermelho brilhante. As partes brancas mostram o que deve ser as cinzas e a azul esverdeada uma capa gelo.

Monte-Sourabaya-erupcao_01

Antes desse evento, conforme relatado pela Live Science, o monte Sourabaya entrou em erupção pela última vez em 1956. Além disso, é um dos vulcões menos estudados do mundo, segundo a NASA.

[ Live Science ] [ Foto: Reprodução / NASA ]

Jornal Ciência