TOP 5 substâncias ou compostos venenosos que podem te matar dolorosamente

de Bruno Rizzato 0

Existem vários artigos listando as substâncias mais venenosas que existem, muitas vezes baseando-se em sua toxicidade aguda, medido pelo índice DL50.

Mas a toxicidade aguda é apenas um dos fatores relevantes, e considerar apenas do DL50 ou medidas similares seria extremamente simplista.

DL50 (abreviação para “dose letal mediana”) mede a dose de uma substância necessária para matar metade de uma determinada população, geralmente de ratos. Normalmente, é medida em dosagem necessária por unidade de peso do animal. Parece cruel quantificar o quão mortal uma determinada substância é, mas a toxicidade global é mais complexa que isso.

Toxicologistas estão cientes das limitações de considerar apenas a razão DL50, e por motivos técnicos, éticos e legais, medir esses valores em animais é cada vez mais raro. Então, o portal Phys.org separou uma lista de substâncias que são mais venenosas do que os seus valores de DL50 realmente indicam. Veja:

1 – Toxinas botulínicas

Mesmo que algumas delas sejam utilizadas na indústria de cosméticos (incluindo o Botox), a família botulinum de neurotoxinas está entre as substâncias mais tóxicas conhecidas pelo homem.

Os valores de DL50 apurados por estas sete proteínas são cerca de 5 ng/kg (ng significa nanograma, que é um bilionésimo de um grama).

Quantidades não letais injetadas em camundongos podem paralisar o membro afetado durante um mês. A seletividade destas toxinas em afetar tipos de células específicas do corpo humano é notável, mas também significa que muitas espécies (incluindo todos invertebrados) não podem ser afetadas por elas.

2 – Toxinas de cobra

cascavel

Assim como as toxinas botulínicas, a maioria dos venenos de serpentes é uma mistura de proteínas, na maioria das vezes neurotoxinas com LD50 abaixo de 1 mg/kg. O que se diferencia nesse caso é a velocidade de atividade.

Enquanto alguns venenos de serpentes podem ser altamente potentes, outros, com níveis menores, podem matar mais rápido. Essa é uma informação vital. Um veneno potente, porém com ação lenta, pode permitir tempo suficiente para intervenção, enquanto um veneno de ação rápida com DL50 menor poderia matar um ser humano antes que ele seja socorrido.

3 – Arsênio

arsenio

O arsênio elementar tem uma DL50 de cerca de 13 mg/ g, representando uma magnitude maior do que algumas das substâncias desta lista. Apesar disso, a Agency for Toxic Substances and Disease Registry (Agência de Substâncias Tóxicas e Registro de Doenças) a coloca no topo do ranking de substâncias perigosas.

Isso destaca o quão comum é a substância e a probabilidade de você ser exposto a ela. Quase não há chance de exposição ao polônio ou à toxina botulínica em quantidades letais, mas muitas pessoas ao redor do mundo estão expostas de forma crônica a metais tóxicos.

Há alguns anos, cientistas desvendaram uma propriedade interessante presente em um composto do arsênio: o arsenito. Essa substância, que é letal, poderia ser um agente terapêutico eficaz contra doenças e infecções. Ainda estão sendo feitos estudos sobre o químico, que poderia até mesmo ajudar a anular o poder tóxico do composto.

4 – Polônio 210

O radioisótopo usado para matar Alexander Litvinenko, na Rússia, em 2006 – o ex-espião capturado pela KGB quando se voltou contra o regime de Putin – é extremamente tóxico, mesmo em quantidades inferiores a um bilionésimo de grama. A DL50 desse composto não é uma propriedade da sua composição química.

Enquanto outros metais tóxicos, como o mercúrio e o arsênio, matam através da interação do metal com o corpo, o polônio mata emitindo radiação que destrói biomoléculas sensíveis – tais como DNA – aniquilando as células. Pode matar em menos de um mês, com uma morte por envenenamento radioativo lenta e dolorosa.

Por incrível que pareça, o polônio pode ser encontrado em produtos comerciais, mas o principal risco vem de sua presença na indústria do tabaco, sendo adquirido pelos fertilizantes à base de fosfato.

De acordo com matérias do American Journal of Public Health e do Journal os the Royal Society of Medicine, tentaram, em segredo, remover o elemento do cigarro por mais de 40 anos, porém sem sucesso. De acordo com o jornal The Age, cerca de 12 mil pessoas são vítimas fatais do polônio ingerido pelo fumo, por ele causar câncer de pulmão.

5- Mercúrio

mercurio

O mercúrio é o único metal encontrado líquido em temperatura ambiente, proveniente principalmente de um minério chamado cinabre.

Em seu estado natural, é inofensivo por não ser absorvido pelo sistema digestivo, mas seu vapor é altamente tóxico. Sais de mercúrio dissolvidos em água apresentam os maiores riscos, pois podem se misturar com alimentos e bebidas. 

Compostos de mercúrio orgânicos e inorgânicos têm efeitos diferentes e, por conta disso, os valores de DL50 variam entre 1mg e 100 mg/kg. O mercúrio puro é consideravelmente menos tóxico que o orgânico.

[ Fonte: Phys ]

[ Foto: Divulgação / Pixabay / Wikipédia ]

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Jornal Ciência