Tempestade que atingiu os EUA na semana passada entrou para a história, batendo recordes meteorológicos

de Merelyn Cerqueira 0

Se você acompanhou os noticiários recentemente, deve ter ouvido falar na nevasca que atingiu os Estados Unidos na semana passada e que causou cerca de 28 mortes, de acordo com o The Guardian, além de diversos voos cancelados. Em vários estados, milhares de pessoas ficaram sem energia elétrica.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

A tempestade de neve em questão, conhecida como Jonas, ou até mesmo por “Snowzilla” (é só procurar pela hashtag), quebrou todos os tipos de recordes. Segundo previsto pelos meteorologistas, foi uma nevasca para entrar para história.

Isso porque, segundo Ria Misra, do site Gizmodo que decidiu registrar algumas estatísticas a respeito da tempestade, os números são impressionantes. Na pequena Glengary, localizada em West Virginia, foram despejados cerca de 107cm de neve. O que corresponde ao valor esperado para um ano inteiro, de acordo com a média usual de West Virginia, que é de cerca de 60 cm para toda a região Nordeste.

Já em Nova York, o Central Park recebeu 68cm de neve, faltando apenas alguns centímetros para superar a nevasca de fevereiro de 2006 (algo em torno de 69 e 70 cm). Em Washington, o Presidente Obama deve ter visto cerca de 33cm de neve atingirem sua residência oficial.

Inundações costeiras também atingiram alguns estados, como Nova Jersey e Delaware, em ambas os níveis de água bateram os recordes que foram observados durante o furacão Sandy, em 2012. Os residentes de Virginia, Delaware e Massachusetts e experimentaram rajadas de vento de até 112km/h, pouco menor do que a força de um furacão. Em Kentucky, Tennessee, Carolina do Norte e do Sul os moradores precisaram lidar com pedaços de gelo de até 1,27cm de espessura.

Enquanto isso, nos três aeroportos de Nova York, os registros também apontaram alguns recordes. No JFK, foram 77cm de neve, superando os 66cm de fevereiro de 2003. No LaGuardia, os registros mostraram 65cm de gelo, batendo os 64,5cm de fevereiro de 2006. Já no Aeroporto de Newark os 71cm de neve bateram o recorde de 70,6 registrado em janeiro de 1996.

Segundo o Governador de Nova York, Andrew Cuomo, os meteorologistas haviam acertado, dessa vez. “Nunca é bom interromper o sistema de transporte ou os comércios, a tempestade foi rápida, porém furiosa, e decididamente uma para entrar na história”.

Enquanto a “Snowzilla” causou muitos estragos e perturbação para os norte-americanos, no espaço, o astronauta da NASA, Scott Kelly registrou uma imagem espetacular a partir da Estação Espacial Internacional e publicou, mais uma vez, em sua conta no Twitter:

Fonte: Science Alert / The Guardian / NY Daily News / Telegraph Foto: Reprodução / Scott Kelly

Jornal Ciência