A síndrome do choque tóxico é uma condição rara que afeta apenas uma pequena porcentagem da população mundial a cada ano. No entanto, quando acontece, pode ser mortal, e é por essa razão que ela sempre aterrorizou as mulheres – já que estava associada ao uso de absorventes internos. Porém, o que você precisa saber de início é que apenas alguns casos – menos da metade – foram relacionados a esse fator. Sendo assim, a condição é capaz de afetar não só mulheres, mas também homens e crianças de todas as idades, de acordo com informações dos Institutos Nacionais da Saúde dos Estados Unidos (NIH).

A síndrome é causada pela reação do corpo às bactérias, mais comumente a Staphylococcus, de acordo como informações da Mayo Clinic. Ela é considerada mortal porque ataca rapidamente o organismo com sintomas iniciais que são semelhantes a gripe, como febre, náuseas, vômitos, calafrios, dores no corpo, de cabeça e erupções cutâneas semelhantes a queimaduras solares nos pés e mãos. Os sintomas progridem rapidamente para confusão mental, baixa pressão arterial, convulsão e falência de órgãos.

A condição foi relatada pela primeira vez pelo médico James K. Todd, um pediatra de Denver que percebeu o estado em vários de seus pacientes jovens. Na década de 80, a incidência da síndrome aumentou significativamente e foi relacionada ao uso de absorventes internos.

Embora ninguém jamais tenha sido capaz de entender o porquê deles estarem causando uma infecção tão séria, campanhas de saúde pública foram lançadas a fim de alertar mulheres e meninas para que trocassem seus absorventes de formas mais regular e que não utilizassem produtos de alta absorção. A história também fez que com que os fabricantes tirassem alguns dos produtos do mercado, o que diminuiu a incidência de casos e a doença praticamente desapareceu dos noticiários.

Veja bem: dos noticiários. A síndrome em si não desapareceu e, embora seja rara, ainda tem uma taxa de incidência de cerca de 0,52 por 100 mil pessoas (entre mulheres, homens e crianças). Os casos são mais comuns entre mulheres de 13 a 25 anos e os mais ainda em mulheres que fazem o uso de absorventes internos. O que mostra uma forte indicação entre o uso dos absorventes e o aparecimento da síndrome. No entanto, essa não é a única forma de contraí-la.

A Síndrome do Choque Tóxico também pode ser causada por infecções de pele, queimaduras ou complicações de cirurgias. Uma vez que o tempo pela qual a ferida fica aberta pode ser essencial para que as bactérias penetrem na pele.

No entanto, a condição pode ser evitada: para o caso dos absorventes é recomendado que eles sejam trocados regularmente, e vale até considerar outras opções de produtos higiênicos femininos, a fim de reduzir os riscos de contaminação.

Os pesquisadores alertam para o fato de que ferimentos na vagina também possam causar a infecção. Sendo esse o caso, todos os produtos descartáveis estariam suscetíveis a facilitar o aparecimento da síndrome. Sendo assim, se você está menstruada, ou apresenta feridas na pele, a melhor forma de se proteger é procurar ajuda médica imediatamente, mesmo que nem todos os sintomas tenham sido observados.

[ MNN ] [ Foto: Reprodução / Wikipédia ]

Jornal Ciência