Reto-robô criado por pesquisadores promete revolucionar exames de próstata

de Merelyn Cerqueira 0

Pesquisadores do Reino Unido, do Imperial College London, acabam de lançar um robô que poderá ajudar médicos e enfermeiros a obter uma compreensão mais completa durante exames de próstata. De acordo com a Science Alert, a invenção revolucionária poderá ajudar salvar vidas por meio da detecção precoce de câncer de próstata.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Apresentado por seus criadores durante uma conferência chamada Eurohaptics, o chamado ‘reto-robô’ permitirá que os profissionais de saúde trabalhem a técnica antes de realizá-la em um paciente. Ao aplicar uma pressão no reto feito de silicone, os médicos podem obter com maior precisão a sensação e forma dos órgãos internos. Além disso, um modelo 3D do interior também é exibido na tela de um computador, de modo que o usuário possa ver o que está tocando, por meio de uma tecnologia háptica (palavra que refere-se ao tato) – que envolve a interação com computador através do toque.

reto-robo_01

O robô também pode ser programado para ter um cenário anatômico diferente, de acordo com a necessidade. Por exemplo, os médicos podem visualizar como ocorre o aumento de uma próstata e até mesmo um tumor em desenvolvimento.

Até o momento, os modelos utilizados para o treinamento de especialistas são feitos de plástico e por isso, são incapazes de criar a sensação real da pele e tecidos vivos e muitas das vezes não fornecem uma compreensão ou técnica adequada.

Em teoria, os médicos podem sempre praticar em voluntários. No entanto, é de se esperar que não existam muitos dispostos a realizar exames de próstata apenas para fins científicos. No Reino Unido, até o momento, apenas uma pessoa foi registrada para teste, e ela é conhecida como “assistente de ensino retal”.

reto-robo_02

Esses tipos de exames internos são considerados “realmente desafiadores para aprender e ensinar, porque ocorrem dentro do corpo e ambos, professor e aluno, não podem ver o que o que realmente está acontecendo”, disse um dos pesquisadores, Fernando Bello. “Mas, os resultados desses exames podem ter grandes implicações para os pacientes – eles são muito importantes para o diagnóstico precoce de várias condições, tal como câncer de próstata”.

Para criar o design do reto robótico e o modelo 3D no computador, os pesquisadores testaram voluntários, por meio de ressonância magnética, para descobrir a forma média e geometria da anatomia.

Os especialistas que testaram o dispositivo, comentaram sobre a grande vantagem de poder alterar a anatomia do robô. “O tamanho e a forma do reto e próstata podem variam de pessoa para pessoa, e esta tecnologia permite aos médicos praticarem suas habilidades em pacientes virtuais diferentes”, disse Bello. “Eles também observaram que, porque esses exames são realizados apenas pelo tato, experimentar a sensação realista é crucial”.

Agora, os pesquisadores vão trabalhar para melhorá-lo, fazendo com que os médicos possam usá-lo a partir de luvas com pequenos sensores de pressão, além de coletar dados de exames reais da próstata de um paciente. Eles também afirmaram ter a intenção de adaptá-lo à exames ginecológicos.

[ Science Alert ] [ Fotos: Divulgação / Imperial College London ]

Jornal Ciência