O que faz uma pessoa entrar em uma seita secreta e misteriosa? Descubra!

de Julia Moretto 0

As seitas secretas são organizações controversas distantes das doutrinas tradicionais, que ocorrem em sigilo.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Elas são muitas vezes denunciadas por abuso psicológico e físico, por isso é difícil imaginar por que alguém participaria destes grupos. No entanto, elas continuam a existir, ganhando seguidores do mundo inteiro. 

Por que as pessoas decidem participar de uma seita?

as-razoes-seita

Desde maçons e grupos comuns, como Rotary até partidos políticos, todas são consideradas seitas. As pessoas muitas vezes participam de grupos em busca de amizade, conexões, identidade e oportunidade de fazer uma contribuição para o mundo.

Cultos pode assumir muitas formas. Eles podem ser religiosos, raciais, políticos ou místicos, de autoajuda ou pseudopsicológicos. Porém, sempre têm devoção a uma pessoa ou credo explícito. Além disso, usam programas de “reforma do pensamento” para integrar, socializar, persuadir e, portanto, controlar os membros.

Mas há razões para se juntar à Ordem do Templo Solar, os davidianos, o Taliban, Hamas ou Al Quaeda?

De acordo com muitos psicólogos e sociólogos, não há estereótipo de pessoa que participa de um culto. Na verdade, qualquer pessoa poderia participar. Segundo um estudo do Dr. Philip Zimbardo, por esta razão, em vez de culpar as vítimas, devemos analisar como alguém consegue se tornar um líder tão sedutor a ponto de recrutar seguidores.

Muitas vezes, a seita promete resolver um problema na sociedade para o qual ninguém mais está oferecendo uma solução. Cultos também oferecem um estilo de vida muito estruturado com respostas absolutas sobre o que é certo e o que é errado. Geralmente são muito abertos, amorosos e acolhedores. Quanto mais tempo as pessoas se dedicam, mais recebem promessas de saúde, riqueza e bem-estar.

Estudos realizados em diferentes tipos de seitas e grupos extremistas demonstraram ter promessas semelhantes, técnicas de indução e agendas de influência social. Eles usam métodos de “doutrinação” e “controle da mente” muito semelhantes entre eles, mas são aplicadas com intensidades diferentes.

O controle da mente de grupos extremistas é pouco diferente do usado pelo exército, organizações religiosas ou prisões. Estas técnicas exigem dedicação total. Também são usadas técnicas de persuasão, dissonância e práticas de manipulação emocional. Quanto mais intenso e mais duradouras forem essas práticas sobre o indivíduo, mais difícil é sair do grupo. Então, as pessoas que pertencem às seitas já foram manipuladas.

Há outras razões, talvez menos psicológicas, como a necessidade de cuidados – e de fato, a solidão –, que também podem levar qualquer indivíduo a pertencer a uma seita. Ser aceito em uma comunidade de alguma forma implica que todos cuidarão de você.

Fonte: Psychology today Foto: Reprodução / Teologo responde

Jornal Ciência