Novo estudo revela 25 surpreendentes segredos da Mona Lisa

de Bruno Rizzato 0

Novas imagens revelam 25 mistérios sobre Mona Lisa, incluindo o segredo do que Leonardo da Vinci, seu autor, usou em suas sobrancelhas, resolvendo um mistério de longa data.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Os dados são de Pascal Cotte, fundador da Lumiere Technology. Ele examinou a pintura com uma câmera de 240 megapixels inventada por ele, que utiliza 13 comprimentos de onda de luz ultravioleta a infravermelha.

As imagens resultantes detalham séculos de pintura de verniz e outras alterações, ajudando a descobrir como o artista trouxe a figura pintada à vida e como ela parecia ter o semblante de Da Vinci e seus contemporâneos. “O rosto de Mona Lisa aparece ligeiramente mais largo e o sorriso é diferente. Os olhos também são diferentes. O sorriso é mais acentuado, eu diria”, disse Cotte.

Uma imagem ampliada do olho esquerdo de Mona Lisa revelou uma única pincelada na região da sobrancelha. “Eu sou um engenheiro e cientista, então, para mim, tudo tem que ser lógico. Não era lógico que Mona Lisa não tivesse nenhuma sobrancelha ou cílios”, disse Cotte em entrevista ao LiveScience. “Eu descobri um fio de cabelo da sobrancelha”, revelou.

Outro enigma era a posição do braço direito da mulher, que se encontra na frente de seu abdômen. Teria sido a primeira vez que um pintor retratou o braço e o pulso de alguém em tal posição. Embora outros artistas nunca tinham entendido o raciocínio de Da Vinci, eles acabaram o copiando.

Cotte descobriu apenas um pigmento atrás do pulso direito, que combinava perfeitamente com a manta pintada no joelho de Mona Lisa. Concluiu-se que antebraço e punho levantavam um lado de um cobertor. “O pulso da mão direita está erguido sobre o estômago. Mas se você olhar profundamente no infravermelho, você entende que ela possui uma manta segurada com seu pulso”, disse Cotte.

As imagens infravermelhas também revelaram desenhos preparatórios de Da Vinci que estão por trás das camadas de verniz e da pintura, mostrando que o renascentista também fazia esboços. “Se você olhar para a mão esquerda, vê a primeira posição do dedo, e ele mudou de ideia para outra posição. Mesmo Leonardo da Vinci tinha hesitação”, relatou.

Outras revelações incluem:

1 – A transparência do véu mostra que da Vinci pintou uma paisagem primeiro e, em seguida, utilizou técnicas de transparência para pintar o véu por cima.

2 – Também há uma alteração na posição do indicador esquerdo e o dedo médio.

3 – O cotovelo foi reparado de danos causados por uma pedra atirada na pintura, em 1956.

4 – O cobertor sobre os joelhos de Mona Lisa também cobre seu estômago.

5 – O dedo apontado à esquerda não foi completamente terminado.

6 – Manchas no canto do olho e no queixo são acidentes com verniz, contrariando afirmações de que Mona Lisa estaria doente.

7 – E, finalmente, Mona Lisa foi pintada em placa de álamo sem cortes, desmentindo especulações.

Cotte disse que quando ele olha para a imagem infravermelha ampliada de Mona Lisa, seus mistério e beleza são ainda mais evidentes. “Se você está em frente deste enorme alargamento da Mona Lisa, você entende instantaneamente por que a Mona Lisa é um quadro tão famoso”, concluiu Cotte.

[ Fonte: Live Science ]

[ Foto: Reprodução / Live Science ]

Jornal Ciência