No mar, correntes de retorno representam grande perigo para banhistas e podem matar

de Merelyn Cerqueira 0

As chamadas correntes de retorno, que podem ser encontradas em litorais de qualquer região costeira, representam um dos maiores perigos para os banhistas desavisados. Elas já foram responsáveis por uma série de mortes por arrastarem violentamente as pessoas para dentro mar.

 

Fortes, estreitas e rápidas elas correm em direção ao mar a até dois metros por segundo. Geralmente são formadas em águas rasas, com até um metro de profundidade, e sob algumas condições específicas: baixa profundidade e bancos de areia – compostos de sedimentos depositados por ondas e marés.

 

Quando encontra esses bancos, a onda é incentivada a quebrar e aumentar sua altura, algo que não ocorre em regiões mais profundas. Assim que diminui, o momentum da onda é reduzido, em oposição a uma outra força chamada de “gradiente de pressão”. Essa força oposta causa o aumento de alguns centímetros da superfície do mar nessas regiões, contrastando com os locais mais profundos onde não há quebra de ondas ou bancos de areias. 

 

Quando isso ocorre, forma-se uma corrente que faz com que água “desça” de seu ponto mais alto para o mais baixo. Esses movimentos, chamados de correntes alimentadoras, encontram-se nos espaços entre os bancos de areia, e voltam para o mar viajando em direção às águas profundas.

Essas correntes são consideradas perigosas porque levam qualquer coisa ou pessoa em seu caminho e percebê-las nas praias não é fácil para os banhistas. Quando eles entram nessas correntes de retorno, são puxados rapidamente para o fundo do mar. Nesse momento, a maioria das pessoas acaba entrando e pânico e se afogando.

 

Tentar nadar em direção à praia não é algo que possa ser feito, já que a cada poucos centímetros de progresso o banhista notará que está sendo empurrado cada vez mais na direção contrária. Dessa forma, a melhor solução é tentar nadar para os lados, saindo do fluxo da corrente e, posteriormente, voltar à praia. Apesar desse raciocínio ser difícil em um momento de pânico, ele realmente poderá ajudar a salvar sua vida.

 

Para identificar as correntes são necessárias boias equipadas com GPS ou corantes liberados na água, que mostrarão o sentido do fluxo. No caso dos banhistas, elas podem ser observadas de um ponto alto, mas a dica é sempre frequentar somente as praias consideradas seguras pelos salva-vidas.

[ Fonte: IFLS ]

[ Foto: Reprodução / IFLS ]

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!
error: Proibida a cópia sem autorização.