Mulher com duas vaginas e dois úteros conta como é viver com sua condição

Condição rara se chama Útero Didelfo, causa fortes cólicas menstruais e traz incertezas sobre gravidez.

de Redação Jornal Ciência 0

Andreea, de 26 anos, é uma mulher um pouco diferente das demais: ela sofre de uma condição rara chamada Útero Didelfo

Trata-se de uma malformação uterina que resulta em dois úteros e dois canais vaginais. Em entrevista, ela contou como é viver com a condição.

A jovem vive na cidade de Salisbury, na Inglaterra, e foi diagnosticada com a doença aos 14 anos, mas guardou segredo.

“Quando era adolescente, não sabia se isso me tornava diferente ou com quem conversar. Agora não acho estranho, sou apenas quem eu sou e somos todos diferentes de uma forma ou de outra”.

Andreea explicou que descobriu a doença durante exames ginecológicos de rotina.

O médico percebeu que não podia inserir o espéculo (instrumento utilizado para examinar o interior da cavidade vaginal) porque ela tinha uma cartilagem dividindo a entrada da vagina em dois.

A mulher descobriu que possui uma “parede divisória de tecido” de aproximadamente 2 centímetros, duas vaginas e dois úteros, ambos funcionando.

Incertezas na gravidez

Andreea engravidou aos 17 anos, mas sua doença fez com que o bebê parasse de crescer aos 3 meses e sofresse um aborto espontâneo.

Hoje, ela tem um relacionamento e considera a possibilidade de tentar engravidar novamente.

“Nunca tive certeza se poderia realmente ter um bebê. Em teoria, tenho dois úteros, então posso engravidar enquanto estou grávida e carregar dois bebês ao mesmo tempo, mas quero saber se posso carregar um bebê com segurança”.

Falando nisso, Andreea comenta que, durante as relações sexuais e no dia a dia, não sente dores ou incômodo, mas sofre de fortes dores durante o período menstrual.

“Eu sofro de cólicas menstruais muito fortes. Chego a ficar prostrada e incapaz de me mover em alguns meses. Acho que isso ocorre por ter um útero extra”, contou.

Ela resolveu falar abertamente sobre sua condição na esperança de incentivar outras mulheres a também falarem sobre seus corpos e sua saúde.

“As meninas deveriam conhecer seus corpos, estar confortáveis em sua própria pele e aprender a saber o que é normal para elas”.

Como saber se você tem um Útero Didelfo?

Muitas mulheres passam boa parte da vida sem saber que possuem uma malformação no útero. A mulher com Útero Didelfo, além de possuir dois úteros, também pode apresentar duas vaginas (mesmo que não consigam identificar por estarem internas). Mas, nem toda mulher com dois úteros terá necessariamente duas vaginas.

Um dos principais sintomas é o excesso de sangue no período menstrual, que não para nem mesmo com a introdução de um absorvente interno.

Isso ocorre porque o sangramento está vindo, também, do útero da outra vagina (interna). Quando essa característica ocorre, a malformação pode ser mais facilmente identificada em um exame, ao procurar um ginecologista.

Muitas mulheres nunca ficam sabendo que possuem o Útero Didelfo porque possuem vida sexual normal e não mantém consultas regulares com o ginecologista.

Mulheres com este tipo de malformação sofrem maiores riscos de serem inférteis, sofrerem abortos espontâneos, partos prematuros e anomalias nos rins, em comparação com mulheres com o útero normal.

Tem tratamento?

Após o diagnóstico através de ultrassom, ressonância magnética ou histerossalpingografia (um tipo de exame ginecológico de raio-X com contraste), é possível analisar cada caso.

Geralmente, não há necessidade de intervenções cirúrgicas, caso a mulher não apresente sintomas graves ou debilitantes, mas existe a possibilidade de cirurgia para unir os dois úteros.

Essa cirurgia é feita, especialmente, quando a mulher possui duas vaginas, visando assim unir o mesmo canal para facilitar o parto.

Fonte(s): Lad Bible Imagens: Reprodução / Lad Bible

Jornal Ciência