Metade da população do mundo será míope até 2050

de Bruno Rizzato 0

Se as tendências atuais continuarem, metade da população do mundo (quase 5 bilhões de pessoas) será míope em pouco mais de três décadas, e um quinto das pessoas pode ter um aumento significativo do risco de cegueira, relatou um novo estudo. Os dados representam um aumento da miopia em sete vezes, de 2000 a 2050, e apesar da condição tornar-se tão rapidamente prevalente, os cientistas ainda não chegaram a um consenso sobre o que poderia estar causando isso.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Entre os anos 1970 e 2000, os casos de miopia quase duplicaram. Nos EUA e em certas partes da Ásia, o aumento foi ainda mais dramático, com uma pesquisa recente constatando que cerca de 96% dos adolescentes na Coreia do Sul possuem miopia. Em Cingapura, China e Japão a taxa de adolescentes com a condição é de cerca de 80 a 90 por cento.

Agora, um novo relatório feito por uma equipe internacional de pesquisadores analisou o aumento dos casos de miopia ao longo das últimas décadas para chegar a previsões sobre o futuro.

Com base nos dados de 145 estudos, abrangendo 2,1 milhões de participantes, descobriram que cerca de 1,4 milhões de pessoas foram diagnosticadas com a miopia em 2000, ou seja, cerca de 22,9% da população mundial. Além disso, houve 163 milhões de pessoas com miopia severa, que vem com um risco aumentado de cegueira e catarata. “Prevemos que, até 2050, existirão 4.7 bilhões de pessoas com miopia (49,8% da população mundial estimada) e 938 milhões de pessoas terão miopia severa”, concluem os pesquisadores, na revista Ophthalmology.

Acredita-se que o aumento repentino nos casos de miopia esteja relacionado às mudanças de estilo de vida e comportamento que aconteceram ao longo das últimas décadas. Os investigadores citam “fatores ambientais, principalmente mudanças de estilo de vida resultantes de uma combinação de diminuição do tempo ao ar livre e aumento de atividades de trabalho interno”. Assim, conclui-se que o problema engloba – mas não é apenas – “forçar a vista” em dispositivos eletrônicos. Porém, é preciso descobrir os mecanismos biológicos que estão causando tais mudanças físicas drásticas nas estruturas dos nossos olhos e como evitar este avanço.

A melhor recomendação atual é evitar passar muito tempo na frente de telas de aparelhos eletrônicos e realizar mais atividades ao ar livre. “Com base em grandes estudos epidemiológicos sobre a miopia, passar mais tempo ao ar livre – especialmente na infância – reduz a chance de aparecimento de miopia”, relatou Sarah Zhang, em artigo para a Wired.

Porém, é impossível realizar experiências a longo prazo em crianças para confirmar essa relação, e as alternativas animais não podem definir com precisão o motivo. “Alguns argumentam que a miopia aumente por conta de problemas de costume visual, outras por conta de uma liberação química na retina. Mais resultados estão surgindo a todo tempo, mas a realidade é que há a aceitação no fato de que passar 2 horas ou mais por dia ao ar livre aumenta esta proteção. Você pode passar muito tempo em computadores e telas, mas gastar 2 horas ao ar livre também é útil”, disse o coautor do estudo, Kovin Naidoo, em entrevista ao The Huffington Post.

Fonte: ABC Foto: Reprodução / Ricardo Martin

Jornal Ciência