Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Jovem escala ilegalmente a maior pirâmide do Egito, filma tudo, e acaba na cadeia!

de Rafael Fernandes 0

Das cem pirâmides conhecidas no Egito, a maior – e mais famosa – é a de Quéops, única das sete maravilhas antigas que ainda resiste ao tempo.

Datada de 2.550 a.C., ela foi a “menina dos olhos” de uma geração de faraós com grandes aspirações arquitetônicas. Khufu (ou Quéops), que encomendou a grande pirâmide, era filho de Snefru, que já tinha feito sua “piramidezinha”. O conhecimento passou de geração em geração, e Quéfren, filho de Quéops, e Miquerinos, seu neto, completaram o trio das Pirâmides de Gizé.

O local é uma necrópole onde, outrora, repousaram os Faraós. Atualmente, milhões de turistas passeiam em busca de conhecimento, belas paisagens, grandes aventuras, etc. Entretanto, Andrej Ciesielski, um garoto alemão de 18 anos, que passeava por lá, procurava muito mais que aventuras e paisagens. Ele procurava a aventura e a paisagem e, realmente, encontrou-as: escalou a pirâmide inteira em apenas 8 minutos.

Andrej possui um blog em que relata seus feitos, cuja maioria se resume a escalar edifícios ou monumentos famosos e registrar as vistas maravilhosas proporcionadas apenas pelos ângulos tão difíceis e perigosos nos quais ele se arrisca.

E, como tudo na vida, há um preço a se pagar. Os 8 minutos de subida se transformaram em 20 minutos de descida (devido à cautela pela inclinação íngreme da estrutura), atingindo o solo em segurança e recebido pelas autoridades. Para grandes feitos, há grandes consequências: no Egito, é considerado ilícito escalar monumentos de mais de 2 mil anos de idade.

Os blocos que compõem a estrutura já têm milênios de idade e estão bastante degradados. A maior delas teria sido construída por volta de 2.550 a.C., ou seja, tem mais de 4,5 mil anos.

As autoridades não seriam acionadas, caso ele conseguisse trabalhar com seus objetivos com um pouco mais de discrição. Porém, é praticamente impossível não notar um garoto de 18 anos escalando sozinho uma das pirâmides mais antigas do mundo. “Na metade da subida, algumas pessoas começaram a prestar atenção em mim e a olhar para cima. Foi assim que a polícia me encontrou. Eles gritaram alguma coisa em árabe com a qual não me importei e permaneci subindo enquanto ouvia minhas músicas”, disse Andrej em sua postagem para o blog.

Não é incomum sabermos de pessoas que executam atos perigosos envolvendo altura. A prática tem se tornado cada vez mais comum para a população e, ao mesmo tempo, mais preocupante para as autoridades. Em 2013, por exemplo, um grupo de russos também escalou e postou fotografias da paisagem obtida no topo da Pirâmide de Quéops. No entanto, eles foram um pouco mais espertos que Andrej, iniciando a escalada durante a noite, no intuito de evitar a atenção, principalmente a da guarda local.

Em suma, esta será uma história para Andrej contar aos seus netos. Estas e muitas outras, já que seu blog permanece atualizado com fotos de novos lugares que ele continua escalando.

[ Andrej Ciesielski ] [ Foto: Reprodução / Andrej Ciesielski ]

Jornal Ciência