Jovem é desafiado por amigos a comer uma lesma e acaba tetraplégico

de Merelyn Cerqueira 0

Sam Ballard, um jogador de rúgbi de Sydney, na Austrália, em 2010 aceitou participar de um desafio proposto pelos amigos.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Ele estava em uma festa quando foi desafiado a comer uma lesma viva. A brincadeira, no entanto, acabou mudando sua vida para sempre, de modo que, com apenas 19 anos ficou tetraplégico.

Após engolir a lesma, Ballard adoeceu rapidamente. Uma vez no hospital, descobriu que estava infectado com um parasita chamado Angiostrongylus costaricensis, que é muito comum em ratos.

Basicamente, lesmas e caracóis podem adquiri-lo pelo consumo das fezes contaminadas desses roedores.

Embora na maioria das pessoas a infecção não provoque sintomas, ela raramente pode resultar em uma infecção no cérebro, que no caso de Sam, desenvolveu uma condição chamada Meningoencefalite Eosinofílica.

Após ficar em coma por pelo menos 420 dias, quando acordou descobriu ter perdido todos os movimentos de corpo. 

Quando recebeu alta, três anos após o incidente com a lesma, Sam saiu do hospital em uma cadeira de rodas.

Katie Ballard, mãe do rapaz, admitiu que a nova condição do filho acabou afetando toda a família, uma vez que agora necessita de cuidados 24 horas por dia.

Atualmente com 28 anos, ele precisa ser alimentado por tubos, constantemente sofre com convulsões e tem problemas no controle de temperatura do corpo.

Seus amigos, comovidos pela situação, criaram uma campanha de arrecadação de fundos para ajudar com o tratamento vitalício. No entanto, apesar da ajuda, a família Ballard aparentemente ainda se encontra endividada em razão de serviços de saúde.  

A aparência do helminto da espécie Angiostrongylus costaricensis.

Fonte: Daily Telegraph Fotos: Reprodução / Daily Telegraph

Jornal Ciência