Imagens da NASA revelam enorme mancha preta na atmosfera do Sol

de Merelyn Cerqueira 0

Um enorme “buraco” escuro foi observado no Sol, de acordo com imagens reveladas pela NASA. No entanto, essa evidência não significa nem de perto o fim do nosso Sistema Solar.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Trata-se apenas de uma característica regular presente na atmosfera “escaldante” da estrela central de nosso Sistema, uma gigante lacuna presente na coroa solar.

O “buraco” foi observado através de um telescópio em órbita que constantemente monitora a atividade solar, o Solar Dynamics Observatory (SDO). Os chamados buracos coronais, são regiões da coroa (corona) – uma aura de plasma que envolve o Sol – onde o campo magnético se estende para o espaço, em vez de realizar o seu ‘looping’ em volta da estrela. Isso resulta no material coronal, acelerando no que é chamado de Fluxo de Vento Solar.

mancha-preta-no-Sol_02

As imagens capturadas pelo SDO mostram partes da corona. Onde as partículas deixam o Sol, fazendo com que o brilho seja reduzido, de modo que o buraco da cora pareça escuro. Esses ventos solares rápidos podem interagir com o campo magnético da Terra, criando as tempestades geomagnéticas – um tipo de energia que atua como uma grande bateria ao redor do nosso planeta e causa variações na energia magnética. Essas tempestades também são responsáveis pelo surgimento das auroras boreais.

mancha-preta-no-Sol_02

O vídeo registrado pela sonda foi capturado em comprimentos de ondas ultravioletas extremas de 193 ångström – um tipo de luz que normalmente é invisível aos olhos, mas que nas imagens da NASA podem ser vistas em roxo.

A SDO é uma sonda não tripulada que foi lançada pela NASA na esperança de obter informações e compreensões sobre as causas da variabilidade solar e seus impactos. O objetivo da nave é determinar como o campo magnético do Sol é formado e armazenado, e como a energia magnética é convertida e liberada. Com isso, os cientistas esperam entender como os ventos solares podem afetar a comunicação ou satélites perto da Terra.

[ Daily Mail ] [ Fotos: Reprodução / NASA ]

Jornal Ciência