Estamos terrivelmente despreparados para outra pandemia, e ela virá, alertam especialistas

O mundo pouco se concentrou na preparação para tais desastres, apesar de amplos avisos de que grandes surtos de doenças eram inevitáveis.

de Redação Jornal Ciência 0

Enquanto o mundo luta contra a devastadora pandemia de coronavírus, estamos fazendo muito pouco para se preparar para pandemias futuras, possivelmente ainda mais prejudiciais, alertou um órgão criado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Banco Mundial.

Em um novo relatório, o Global Preparedness Monitoring Board (GPMB), lamenta que a pandemia de coronavírus revelou o quão pouco o mundo se concentrou na preparação para tais desastres, apesar de amplos avisos de vários especialistas de que grandes surtos de doenças eram inevitáveis.

“A pandemia de Covid-19 está fornecendo um teste severo de preparação do mundo”, disse o relatório, concluindo que pouco progresso havia sido feito em qualquer uma das ações que a GPMB havia pedido em seu primeiro levantamento, no ano passado, antes da Covid-19 atacar o planeta.

“Deixar de aprender as lições da Covid-19 ou de agir sobre elas com os recursos e empenho necessários, significará que a próxima pandemia, que certamente virá, será ainda mais prejudicial”, alerta a instituição.

Gro Harlem Brundtland, copresidente do GPMB e ex-chefe da OMS, enfatizou durante o lançamento virtual do relatório na última segunda-feira (14), que o conselho havia alertado há um ano que o mundo estava mal preparado para uma pandemia.

“Trágica e catastroficamente, vimos nossos piores medos se realizarem”, disse ela. “O impacto da Covid-19 é ainda pior do que prevíamos, mas as ações que solicitamos no ano passado ainda não foram tomadas”.

O relatório surge no momento que o número global de mortes causadas pelo novo coronavírus se aproxima da marca de 1 milhão, entre os quase 30 milhões de casos conhecidos desde que surgiu pela primeira vez na China, no ano passado.

Pânico e abandono

Brundtland insistiu que era hora de quebrar o “ciclo de pânico e abandono” que desencadeou as consequências “catastróficas” da atual pandemia.

O Conselho de Monitoramento da Preparação Global (GPMB) está novamente pedindo ampla cooperação global e financiamento significativo de longo prazo para preparação e prevenção de pandemias.

O órgão insistiu para que a Organização das Nações Unidas (ONU), a OMS e instituições financeiras internacionais como o Banco Mundial, convoquem uma cúpula sobre a emergência global de saúde, com o objetivo de chegar a um acordo sobre uma estrutura internacional para preparação e respostas.

A estrutura deve incluir, entre outras coisas, um “mecanismo” para garantir “financiamento sustentável e previsível na escala necessária”, disse Brundtland.

“O retorno sobre o investimento na preparação para uma pandemia é imenso”, disse ela, apontando que “as estimativas do custo da prevenção e preparação são medidas em bilhões de dólares, mas o custo de uma pandemia é medido em trilhões”.

O atual chefe da OMS, Tedros Adhanom, concordou, dizendo que “gastar com saúde e preparação não é caridade. É um investimento em nosso futuro”.

Não investir na preparação, afirma ele, é “como se esperássemos a queda do avião e depois convocássemos mais inspeções de segurança; esperamos até a cidade pegar fogo e, então, decidimos que precisamos de um corpo de bombeiros”.

Tedros sublinhou que a Covid-19 “não será a última pandemia, nem a última emergência global de saúde. Cada dia em que ficamos parados e não fazemos nada, é um dia que nos aproxima da próxima emergência global de saúde, seja de um surto de doença, mudança climática ou um desastre natural provocado por nós”, pontua ele.

“Não sabemos qual será a próxima emergência global de saúde, mas sabemos que virá e devemos estar preparados”, finalizou.

Fonte: Science Alert Fotos: Reprodução / Pixabay

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!