Jornal Ciência no seu WhatsApp

 

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Bamlanivimab: empresa farmacêutica diz ter medicamento de anticorpos que impede a Covid-19

O estudo de Fase 3 com o medicamento Bamlanivimab, da empresa Eli Lilly, incluiu 965 participantes.

de Redação Jornal Ciência 0

Um medicamento à base de anticorpos pode ajudar a prevenir a Covid-19 em residentes e funcionários de asilos, alguns dos indivíduos mais vulneráveis devido à idade e condições de saúde subjacentes, de acordo com a empresa.

A gigante farmacêutica americana Eli Lilly anunciou na última quinta-feira (21) que seu ensaio clínico de Fase 3, conduzido com o Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA, mostrou que a droga reduziu as chances de residentes de asilos adoecerem com Covid-19 em até 80%.

A droga com anticorpo, chamada Bamlanivimab, também ajudou a prevenir a doença na equipe da casa de saúde após oito semanas de acompanhamento, disse a empresa.

O estudo de Fase 3 incluiu 965 participantes – 299 residentes e 666 funcionários – que tiveram resultado negativo para coronavírus antes de serem designados aleatoriamente para receber o medicamento ou um placebo.

Quatro dos 299 residentes no estudo morreram de Covid-19, cada um dos quais recebeu um placebo. Não houve óbitos relacionados ao coronavírus entre aqueles que receberam a droga.

A empresa planeja apresentar seus resultados completos em uma futura reunião médica e submetê-los para publicação em um jornal revisado por pares.

“Estamos extremamente satisfeitos com esses resultados positivos, que mostraram que o Bamlanivimab foi capaz de ajudar a prevenir a Covid-19, reduzindo substancialmente a doença sintomática entre os residentes de asilos, alguns dos membros mais vulneráveis de nossa sociedade”, disse Daniel Skovronsky, chefe científico da Eli Lilly, em um comunicado à imprensa.

“Esses dados fornecem evidências clínicas adicionais importantes sobre o uso de Bamlanivimab para combater a Covid-19 e reforçam nossa convicção de que anticorpos monoclonais podem desempenhar um papel crítico na mudança de rumo desta pandemia”.

A empresa disse que seu medicamento poderia ser usado junto com as vacinas, enquanto residentes de asilos e funcionários aguardam as doses.

“Queremos tentar levar isso para as pessoas em asilos”, disse Skovronsky ao jornal Wall Street Journal.

“Não é uma alternativa para a vacina. É para pessoas que não foram vacinadas e há um surto em suas instalações – isso pode ser o último recurso”, acrescentou.

Fonte(s): Daily Mail / Charlotte Observer Imagens: Reprodução / Pixabay

Jornal Ciência