Assista ao vivo a sonda Juno da NASA tentando entrar na órbita de Júpiter

de Merelyn Cerqueira 0

O maior evento espacial do ano está próximo de acontecer. Hoje, 4 de julho, espera-se que a sonda não-tripulada Juno, da NASA, finalize sua jornada de quase cinco anos no espaço e embarque em uma nova missão: estudar o planeta Júpiter como nunca antes havia sido feito.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Para que isso aconteça, primeiramente, a sonda precisa chegar à órbita polar do planeta, sendo essa a parte mais perigosa da missão até agora.

Conforme Juno se aproxima de seu destino, a tremenda força gravitacional de Júpiter vai acelerá-la a velocidades de mais de 241.000 km/h, tornando a um dos objetos mais rápidos já construídos pelo homem. Quando atingir a máxima de 266.000 km/h, rápido o suficiente para voar em torno da Terra em apenas nove minutos, ela acionará os freios e disparará os seus motores.

Ao todo, a sonda pesa 3.624 kg (peso da estrutura sem o combustível) e está voando pelo espaço cerca de 215 vezes mais rápido do que a velocidade do som. Para reduzir sua velocidade, os motores terão de disparar por 35 minutos seguidos, queimando cerca de 7.900 kg de combustível nesse processo.

Logo, se tudo correr conforme o planejado, essa perigosa manobra colocará a sonda em torno da órbita de Júpiter, onde permanecerá pelos próximos 18 meses, fornecendo uma visão sem precedentes do poderoso campo gravitacional e magnético do planeta. Por outro lado, se algo der errado, a missão norte-americana de 1,13 bilhão de dólares acabará imersa no espaço profundo, sem qualquer chance de retorno.

A NASA estima que essa queima de motor terá início às 23h18, no horário local, sendo às 01h18 no horário de Brasília. Esse momento será transmitido ao vivo através da TV NASA, no site oficial da agência.

[ Science Alert ] [ Fotos: Reprodução / NASA ]

Jornal Ciência