“Arquivo X” da vida real? CIA revela arquivos que relatam a aparição de óvnis

de Merelyn Cerqueira 0

Pegando onda no sucesso da nova temporada da série “Arquivo X”, e para a alegria dos fãs dos detetives Mulder e Scully, a Agência Central de Inteligência (CIA) resolveu liberar alguns arquivos secretos referentes a aparições de óvnis na Terra. Muitos documentos relatam aparições dos anos 50, quando a corrida espacial estava a todo vapor e a Guerra Fria era uma realidade.

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número nos seus contatos. Você receberá notícias do Jornal Ciência diretamente no seu celular.

Filmes de ficção científica como “A invasão dos discos voadores” (The flying saucer) colocaram as representações de alienígenas e discos voadores na cabeça de muita gente. Em 1953, a “febre” dos óvnis tinha alcançado um status tão alto no imaginário das pessoas que a CIA resolveu organizar uma equipe para revisar os relatos dos fenômenos de origem alienígena, de acordo com um memorando divulgado em 1953 pela agência.

Embora a maioria desses relatos tenha aparentado ser de apenas nuvens estranhas, relâmpagos ou até mesmo testes de mísseis, eles ainda inspiram muitas teorias de conspiração. Há casos como a da frigideira voadora que apareceu na Alemanha Ocidental ou até mesmo a aparição de uma suposta nave espacial misteriosa sobre as minas de urânio na África. Aqui estão alguns dos mais curiosos “Arquivos X” da CIA:

A frigideira voadora da Alemanha Ocidental

Em meados de 1952, Oscar Link, ex-prefeito de Gleimershausen, na Alemanha e sua filha Gabriella, de 11 anos, estavam voltando para casa quando o pneu do carro estourou, perto da cidade de Hasselbach. Gabriella havia notado algo à distância, e o ex-prefeito inicialmente pensou que era um veado. No entanto, quando Oscar chegou mais perto, viu dois homens olhando para o que parecia ser uma frigideira gigante com 13 a 14 metros de diâmetro. Em torno da borda havia duas fileiras de furos, cada um com cerca de 30cm de diâmetro, além de uma torre em formato cônico com cerca de 3m de altura na parte superior do objeto.

Quando sua filha o chamou de volta, ele relatou que os dois homens imediatamente pularam de volta para dentro da frigideira misteriosa. De acordo com o relatório da CIA que continha o depoimento do ex-prefeito, um dos homens possuía uma protuberância redonda no peito que brilhava em verde e vermelho. Enquanto ele observava, a estrutura cônica caiu no chão e o disco começou a subir para o céu, foi cercado por chamas, virou-se horizontalmente para desviar das árvores e desapareceu.

O prefeito também contou que, após o objeto sumir, ele notou uma abertura circular no chão com mesma forma da estrutura cônica, aparentemente cavada. No entanto, depois ele negou toda a história e afirmou que estava convencido de que a máquina era um aparelho militar soviético.

Objetos voadores em minas de urânio africanas

No mesmo ano, na região hoje conhecida como República Democrática do Congo – à época Congo Belga – dois discos voadores foram vistos pairando sobre as minas de urânio no distrito de Elisabethville, de acordo com uma reportagem do jornal local Die Presse.

Segundo a publicação, os discos deslizavam em curvas elegantes e mudavam de posição a todo momento, de modo que, podiam parecer pratos, estruturas ovais ou simplesmente linhas. De acordo com o artigo, o comandante Pierre, que trabalhou no aeródromo em Elisabethville, perseguiu os discos voadores em um avião de combate, mas desistiu após 15 minutos, afirmando que os objetos voavam a cerca de 1.500km/h e depois desapareceram ao longo do lago Tanganyka.

Segundo o relato do comandante, os discos eram de metal, cor de alumínio, com 12 a 15m de diâmetro e tinham um botão central que parecia ficar completamente imóvel enquanto o disco rodava em alta velocidade. Assim como no relato anterior, esse disco também parecia ser capaz de voar tanto na vertical quanto na horizontal. Pierre também afirmou que seria pouco provável que a máquina fosse pilotada manualmente. Por causa dos movimentos do disco e do calor que irradiava, seria improvável que alguém conseguisse ficar ali dentro.

Embora o comandante fosse um oficial de confiança, ninguém consegui confirmar sua história. Com base em seu depoimento, a CIA elaborou um esboço das supostas dimensões e de um possível modo de operação da nave.

Rastro de fumaça sobre Barcelona

O ano de 1952 foi memorável para os óvnis. Diversas pessoas relatavam avistar objetos voadores e relâmpagos riscando o céu do Norte da África e da Espanha nessa época. Como o repórter Valentin García, que afirmou ter visto um rastro de fumaça deixado por um estranho objeto voador. Segundo ele, um de seus amigos até conseguiu capturar uma foto do momento.

Nesse mesmo ano, moradores de Sousse, na Tunísia, relataram ter visto um objeto voador viajando a uma velocidade extrema, de oeste para leste e emitindo uma luz verde pálida. No Marrocos, testemunhas afirmaram ter visto um disco voador passar silenciosamente pelo céu e, comparados aos voos de aviões T-33, um modelo de caça, o objeto era muito mais rápido. O objeto traçou uma parábola no céu e depois sumiu ao em direção ao sul.

A CIA não liberou documentos que mostrem exatamente como essas aparições foram solucionadas, no entanto, outros arquivos sugerem que a maioria era de histórias inventadas. Em um relatório de 1953, um dos funcionários da agência observou que os membros do painel científico que investigava as aparições, estavam impressionados com a falta de dados confiáveis na maioria das histórias relatadas.

[ Live Science ] [ Foto: Reprodução / YouTube ]

Jornal Ciência