A CIA divulgou 10 dicas para você seguir e tentar encontrar um “disco voador”

de Rafael Fernandes 0

A CIA lançou, no início desta semana, alguns documentos de sua coleção de relatos sobre discos voadores desde a década de 40. É um fato muito raro, se considerarmos sua tradicional política confidencial e discreta.

 

Para ajudar “caçadores de alienígenas” amadores a lançarem suas próprias investigações, a CIA estipulou 10 dicas que se devem usar durante uma “investigação” de discos voadores. Esta publicação coincide com o retorno da série de TV “Arquivo – X” após 10 anos fora do ar.

 

O programa de investigação de óvnis da Força Aérea dos Estados Unidos, chamado de Projeto Blue Book, iniciou suas operações em 1940, mas foi rescindido pouco mais de 20 anos mais tarde. Hoje em dia, a agência só direciona atenção periférica para observação de óvnis, mas não deixa de oferecer expertise para a continuar a busca.

 

“Com mais de 20 anos de investigações, desde a década de 40 até o término do Projeto Blue Book, em 1968, a CIA e US Air Force aprenderam uma coisa ou outra sobre como investigar um suposto OVNI”, escreve a agência. Então, vamos às dicas:

 

1 – Estabelecer um grupo para a análise de aparições

Relatos, para serem verídicos, necessitam de provas; para conseguir comprovar algo, é necessário uma ou mais testemunhas. Estabelecer um grupo garante maior credibilidade a suas pesquisas, além da arrecadação unificada de pontos de dados mensuráveis ​​e resultados de experimentos controlados.

 

2 – Determinar os objetivos de seu inquérito

Se tomarmos o Projeto Blue Book como exemplo, ele tinha três objetivos principais: determinar se a tecnologia UFO poderia ser aproveitada por pesquisadores norte-americanos, se UFOs poderiam ser uma ameaça para a segurança nacional, e explicar o que levou uma pessoa a relatar tal incidente.

 

3 – Buscar a opinião de especialistas

É sempre proveitoso ter uma segunda impressão sobre aquilo que você ainda não compreende, e nada melhor que alguém especializado para fazer-lhe enxergar sua descoberta sob outro ponto de vista. Durante as pesquisas do Projeto Blue Book, as equipes que o compunham, muitas vezes consultavam astrofísicos, os funcionários Aviação Federal, pilotos, os EUA Weather Bureau, estações meteorológicas locais, acadêmicos do Centro Nacional para Pesquisa Atmosférica, NASA, Kodak (para análise fotográfica) e vários laboratórios.

 

4 – Criar um sistema para organizar novos processos

Algo que pode vir a calhar seria montar um questionário, como fez a US Air Force, no intuito de conseguir controlar as aparições, classificando-as como: astronômicas, aeronaves, balões, satélites, outros (incluindo reflexos, mísseis, miragens, pássaros e hoaxes), dados insuficientes e não identificado.

 

A agência escreve: “De acordo com Hector Quintanilla (o último diretor do Projeto Blue Book), uma aparição é considerada apenas quando o relatório apresenta todos os dados necessários para sugerir uma hipótese válida.”

 

5 – Eliminar falsas aparições

Devem-se eliminar todas as causas conhecidas para descartar explicações comuns.

 

A CIA escreve que as aeronaves não identificadas, eventos celestiais, histeria em massa, alucinações, equívocos, brincadeiras, truques publicitários e má interpretação de objetos conhecidos podem ser considerados falsas aparições em um relatório óvnis.

 

6 – Desenvolver metodologia para identificar aeronaves comuns e outros fenômenos aéreos, muitas vezes confundidos com óvnis

Para determinar se um alegado avistamento de óvni foi realmente válido, os investigadores escreveram descrições detalhadas dos fenômenos astronômicos e aeronaves. Um avião pode ser confundido com um OVNI, especialmente uma aeronave militar fazendo testes em segredo, por exemplo.

 

7 – Examina a documentação testemunha

“Imagens, vídeos, áudios gravações… todos podem ser extremamente úteis na avaliação de uma aparição de óvnis relatados”, escreve a agência.

 

8 – Realizar experimentos controlados

Os cientistas e pesquisadores podem tentar replicar as condições que criaram o evento para tentar explica-lo através de um experimento controlado.

 

9 – Reunir e testar provas sobre o evento

Os pesquisadores podem coletar materiais e colocá-los em análise de laboratório para determinar suas origens. Em um caso histórico, coletaram terra do local em que teria sido avistado um óvni, revelando nenhuma evidência extraterrestre.

 

10 – Desencorajar relatórios falsos

Informações corretamente passadas para os militares, pesquisadores e ao público ainda podem ajudar a reduzir relatórios falsos, a agência escreve. Se as pessoas são capazes de reconhecer “objetos extraordinariamente iluminados” e fenômenos naturais no céu, relatórios falsos podem ser rapidamente eliminados.

[ FonteDaily Mail ]

[ Foto: Reprodução / CIA ]

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!
error: Proibida a cópia sem autorização.