A Casa Branca pede ao congresso dos Estados Unidos 1,8 bilhão de dólares para combater o Zika

de Rafael Fernandes 0

O Zika tornou-se uma preocupação crescente ao ponto de fazer com a Casa Branca pedir 1,8 bilhões de dólares para combater o vírus nos Estados Unidos e em outros países também. Mas, um especialista afirma que uma vacina pode ser desenvolvida nos próximos 3 anos, o que é consideravelmente rápido.

Cerca de 1 em cada 5 pessoas infectadas pelo vírus sempre mostra sintomas que, mais comumente, incluem febre, erupção cutânea, dor nas articulações e olhos vermelhos.

Barack-Obama-na-Casa-Branca
Foto: Reprodução / Wikipédia

A doença está associada à microcefalia, uma condição normalmente rara na qual os bebês nascem com crânios e cérebros pequenos. Esta ligação tem levantado preocupações sobre as mulheres grávidas contraírem o vírus, já que não existem vacinas ou tratamentos para o Zika.

Na semana em que conversou com Dilma por telefone, Obama convocou seus principais assessores da área de saúde para reunião na Casa Branca na qual se discutiram os riscos de expansão do vírus. 

O Dr. Anthony Fauci, do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas (NIAID, em inglês), disse, em uma coletiva de imprensa da Casa Branca na segunda-feira, que na Fase 1 haverá testes em seres humanos ainda neste inverno. Uma vez que o Zika é um flavivírus, como o do Nilo Ocidental e a Dengue e ambos possuem vacinas.

Segundo ele, a fase inicial de teste pode ser concluída em 2016. Depois disso seriam necessários pelo menos mais dois anos até a comercialização da vacina. Ele também não espera uma contaminação por Zika em grande escala nos EUA.

Aqui estão os passos Fauci disse que a vacina experimental terá:

1 – Agora, o NIAID ainda está reunindo todas as peças, certificando-se que eles têm os ingredientes certos para a melhor vacina. Ela deverá ser testada em animais e passar por outros testes pré-clínicos.

2 – Dessa forma, pode evoluir para testes em humanos. Fauci disse esperar que comecem no inverno, com a Fase 1 (geralmente os testes em pessoas saudáveis são ​​para mostrar que a droga não é tóxica para os seres humanos) encerrando no final de 2016.

3 – No segundo ano, a vacina deve entrar na Fase 2, o que significa que vai ser usada em pacientes mais expostos ao vírus. Estes testes são maiores e os dados conseguidos podem desmantelar a vacina, mostrando qual é sua eficácia em estagnar a propagação da doença.

4 – Ao final desses testes, por ser uma “situação de emergência”, a vacina poderia entrar em uso generalizado nas áreas mais necessitadas.

Nicholas Jackson, o diretor de pesquisas dos laboratórios franceses Sanofi-Pasteur, vai liderar o novo projeto de vacina contra o Zika Vírus. Ele informa: “Precisamos entender a biologia básica. É por isso que a colaboração vai ser tão importante a nível internacional e regional.”

“É importante observar que a experiência da Sanofi Pasteur, sua sólida base e infraestrutura em pesquisa e desenvolvimento e capacidade industrial no caso da nova vacina contra a dengue podem ser rapidamente aproveitadas para obter os conhecimentos sobre a disseminação do Zika e acelerar descoberta de uma vacina candidata para desenvolvimento clínico.” disse ele.

Até o momento, não existe vacina ou tratamento específico para o Zika Vírus. Por essa razão, a empresa reforçou que o controle do mosquito Aedes aegypti continua a ser uma medida importante para conter os casos de contaminação. Para os indivíduos que vivem em áreas com Zika Vírus, é recomendável o uso de repelente e vestes mais longas. Proteja si mesmo e os outros.

Fonte: Veja / EBC / Business Insider Foto: Reprodução / Torange

Jornal Ciência no seu WhatsApp

Clique aqui (61) 98302-6534, mande “olá” e salve nosso número. Você receberá primeiro as notícias do Jornal Ciência em seu celular.

Jornal Ciência