5 métodos horripilantes de tortura utilizados na Roma Antiga

de Merelyn Cerqueira 0

Na Roma Antiga, a regra geral era de que todos os escravos poderiam ser livremente torturados. Homens livres que cometiam crimes não eram punidos de fato, mas seus escravos recebiam as punições em seus lugares, sendo estes homens ou mulheres, que muitas vezes eram torturados até à morte.

Os métodos eram bem diversos, todos capazes de causar danos físicos e psicológicos em suas vítimas, como você verá na lista a seguir, que mostra cinco dos piores métodos de tortura usados à época:

5 – Costurado dentro de um burro

Esta forma cruel e incomum de tortura foi descrita pela primeira vez por Apuleio (O Asno de Ouro) e Lucian (Lúcio, ou o Asno). Um burro seria morto, sua barriga cortada e as entranhas removidas.

O acusado então era despido e colocado na barriga do animal, que era fechada e costurada, deixando apenas a cabeça do acusado do lado de fora, para evitar o sufocamento e prolongar o sofrimento.

O corpo do burro era mantido sob o sol, de modo que começava a se decompor – com a vítima viva sendo cozida dentro de forma muito lenta. Larvas rastejavam por todo o lado e abutres bicavam a carne decomposta do animal. A morte, embora bem-vinda nessa situação terrível, acontecia bem devagar e era considerada extremamente cruel.

4 – Entregue aos porcos

Foi São Gregório que descreveu esse tipo de tortura hedionda que normalmente era realizada em mulheres jovens da cidade de Heliópolis, enquanto estava sob o domínio romano. Qualquer virgem que fosse submetida a esta tortura era primeiro entregue aos gladiadores para ser sexualmente violada.

Depois que a jovem não era mais virgem, era publicamente despida, sua barriga aberta e as entranhas retiradas. Em seguida, punhados de cevada eram colocados dentro do tronco, antes de este ser costurado de volta. O corpo então era jogado aos porcos selvagens, que o despedaçavam.

3 – Tortura do caldeirão

Os carrascos costumavam usar animais para realizar barbáries, como era o caso da tortura do caldeirão. Neste método, um animal faminto, como um rato, um cachorro ou gato, era colocado dentro de um pequeno caldeirão.

Um buraco no caldeirão era preso ao ventre do acusado. O carrasco então aquecia o recipiente, deixando o interior extremamente quente. O animal, em pânico, tentava escapar pela única saída disponível, que era através da barriga do acusado.

2 – A tortura das abelhas

Essa forma bizarra de tortura envolvia colocar uma pessoa em uma cesta grande e frouxamente tecida. A cesta então era içada em uma árvore, ao lado de uma grande colmeia ativa. As abelhas naturalmente ficavam rapidamente irritadas, e a pessoa dentro da cesta era picada até a morte.

O acusado estava destinado a permanecer em agonia pelo maior tempo possível. No entanto, houve casos em que a vítima morreu com relativa rapidez por ser alérgica a toxina liberada pelas abelhas, tendo um choque anafilático.

1 – Crucificação

É um fato conhecido que os romanos antigos adoravam crucificar pessoas. De fato, este era o principal método de tortura e execução utilizado à época, que foi responsável pelo assassinato de um número incontável de escravos.

A crucificação nem sempre envolvia apenas pregar o acusado a uma cruz. Às vezes, ele era despido, tinha a cabeça coberta e era açoitado até a morte. Se a morte não viesse rápido, então a ação seguinte envolvia pregar as mãos e os pés, ou quebrar os ossos das pernas, e deixar o indivíduo para ter uma morte lenta e dolorosa.

Em alguns casos, ele poderia até mesmo ser pendurado de cabeça para baixo. Os métodos variavam entre os carrascos, de modo que quase nunca ocorria de maneira igual para todos.

Fonte: ListVerse Fotos: ListVerse

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!
error: Proibida a cópia sem autorização.