Veja como a NASA está se preparando para o eclipse solar total que ocorrerá hoje, dia 21 de agosto!

de Merelyn Cerqueira 0

eclipse-solar-total_1

Hoje, 21 de agosto, a Terra experimentará um evento astronômico de extrema importância: um grande eclipse solar total ocorrerá no céu dos EUA.

 

Neste dia, a Lua se posicionará entre a Terra e o Sol e cobrirá nossa estrela por completo, em uma oportunidade que, segundo Adriana Ocampo, cientista planetária da NASA, será a primeira na história da humanidade, uma vez que agora possuímos tecnologias necessárias para verificar o fenômeno de vários ângulos. Com informações da BBC Brasil e Science Alert.

eclipse-solar-total

Sabendo disso, e considerando que os melhores pontos de observação são dos norte-americanos, a NASA quer dar a oportunidade para que o mundo inteiro assista o evento – mesmo que pela tela de um computador.

 

“Vamos usar 11 satélites que estão orbitando em nosso planeta, três deles da NASA e o resto de outras agências espaciais”, explicou Ocampo à BBC Mundo. “O eclipse poderá ser observado de diferentes ângulos, inclusive desde a Estação Espacial Internacional. Também vamos reorientar uma nave espacial que orbita a Lua para observá-lo da perspectiva da órbita lunar“.

O grandioso evento astronômico também será captado pelos telescópios em terra, bem como o que voa acoplado ao Boeing 747, da NASA. Ainda, cerca de 50 balões meteorológicos irão carregar instrumentos que registram a faixa de luz visível e de diferentes outras do espectro que nos fornece informações sobre a atmosfera do Sol, de acordo Ocampo.

 

Embora o eclipse possa ser visto em todo o território norte-americano, quem estiver em uma faixa estreita de cerca de 113 km de largura, conhecida como Caminho para a Totalidade e que percorre cerca de 14 estados dos EUA, poderá ver o espetáculo de forma mais completa.

 

Durante o evento o céu se escurecerá por completo e a temperatura ficará mais baixa. Neste ponto, as pessoas poderão contemplar as estrelas e até mesmo a corona (atmosfera) do Sol, que em condições normais não pode ser vista da Terra. No Brasil o fenômeno poderá ser visto em alguns lugares, mas apenas de forma parcial, da mesma forma que em outros países da América do Sul, África e Europa.

 

O eclipse está marcado para começar às 10h16 (hora local) em Lincoln Beach, em Oregon, e terminará às 2h48 (hora local) em Charleston, na Carolina do Sul, movimentando sua sombra sempre ao leste. Quem estiver em Carbondale, Illinois, experimentará uma maior duração do eclipse, que será de cerca de 2 minutos e 40 segundos.

 

A NASA espera que as observações feitas durante o eclipse ajudem a esclarecem alguns dos mistérios que ainda envolvem nosso pouco conhecimento sobre Sol. “Há muitas coisas que ainda desconhecemos“, argumenta Ocampo. “O Sol tem um ciclo de manchas solares de 11 anos e realmente não entendemos o que há por trás disso, e por que ocorrem exatamente nessa periodicidade“.

Agora, por exemplo, estamos em um período no qual as manchas solares estão diminuindo. Estamos vendo que esses ciclos de atividade de 11 anos também afetam o clima em nosso planeta e outros planetas do Sistema Solar, e queremos entender isso também”, acrescentou.

 

A megatransmissão proposta pela NASA será feita em parceria com a USTREAM, YouTube e Stream Enterprise. No site oficial da agência você pode conferir mais detalhes e como acessar a plataforma desejada.

[ Science Alert / BBC ] [ Foto: Reprodução / Science Alert ]