TOP 10 obsessões japonesas que são tão bizarras que você não irá acreditar que existem

de Merelyn Cerqueira 0

Quando ocidentais são questionados sobre a cultura oriental, normalmente mencionam alguns estereótipos peculiares e, por vezes, maldosos.

 

No entanto, a cultura japonesa é rica e extremamente interessante. O Japão, por exemplo, é um país que detém uma incrível história, além de uma das populações mais tecnologicamente avançadas e financeiramente estáveis do mundo. Entretanto, não podemos deixar de mencionar algumas curiosidades pouco ortodoxas presentes na cultura japonesa (de acordo com nossa visão ocidental, é claro!), que você conferirá na lista abaixo:

 

1 – Yaeba

Considerando que aqui no Brasil costumamos investir muito para ter dentes saudáveis e bem colocados, algumas mulheres japonesas simplesmente abraçam seus defeitos bucais. Chamadas de “yaeba”, elas exibem orgulhosamente suas imperfeições dentárias. Há muitas explicações diferentes sobre a mania do yaeba ser tão bem-sucedida no Japão.

 

Alguns sugerem que ela retém a juventude de uma garota; enquanto outros argumentam que é apenas uma maneira pela qual as mulheres mudam sua aparência para se adequarem aos padrões masculinos. Trata-se de tendência de moda quase inofensiva, uma vez que pode ser revertida à medida que os estilos mudam. E, embora seja mais comum entre o público mais jovem, algumas mulheres mais velhas também optam por se abster de tratamentos dentários.

2 – Zentai

O zentai nada mais é do que uma peça de roupa que geralmente está associada a super-heróis ou uniformes esportivos. Embora soe como algo comum, a ideia ganhou um grupo de entusiastas que usam a roupa por motivos mais estranhos. Para alguns, ela oferece uma sensação de anonimato, o que muitas das vezes está ausente da vida cotidiana; enquanto que para outros, ajuda-os a encontrar um lugar na sociedade, escondendo sua verdadeira aparência. Há ainda aqueles que encontram nela um elemento sexual, com um entusiasta que revelou o quanto gostava de ser tocado e acariciado por outras pessoas enquanto trajava seu zentai.

 

Curiosamente, a tendência está chegando ao Ocidente. De fato, há um grupo chamado Zentai Project, sediado na Grã-Bretanha, que realiza paralisações ocasionais em que os membros saem vestidos em público para tirar fotos com turistas.

3 – Lambidas no globo ocular

Embora soe incrivelmente anti-higiênico, lamber os olhos é uma mania bem praticada nas escolas japonesas. Provas da tendência excêntrica podem ser encontradas no YouTube, quadrinhos e até mesmo em videoclipes.

 

Enquanto a maioria das pessoas optam por um simples aperto de mão, alguns jovens japoneses veem a lambida no globo ocular como um sinal maior de intimidade. No entanto, se toda a história é fato ou ficção ainda é uma questão de debate. De acordo com o site japonês Naver Matome, trata-se de um problema sério, com um terço dos alunos de 12 anos admitindo que é correto fazê-lo. Por outro lado, pais e médicos, já afirmaram que nunca ouviram falar da prática – talvez por se sentirem envergonhados.

4 – 1873: O Ano do Coelho

Houve uma época no Japão, mais precisamente em 1973, em que coelhos eram importados ao país como uma curiosidade, de modo que os japoneses enlouqueceram com as criaturas. Basicamente, um único coelho, naquela época, poderia atingir preços incríveis.

 

É importante ressaltar que algumas pessoas levaram essa loucura muito a sério. Por exemplo, um homem chegou a gastar tudo o que tinha em apenas dois coelhos para agradar a filha, embora estes tenham morrido pouco tempo depois. A falência financeira acabou provocando seu suicídio, que logo foi seguido pelo de sua filha. Essa história desconcertou tanto o mundo que as pessoas passaram a considerar a vida humana extremamente barata no Japão, comparando-as ao preço de alguns coelhos.

5 – Byojaku

Tendências de moda curiosas ocorrem quase que anualmente no Japão, especialmente em Tóquio. Uma das mais estranhas dos últimos anos é a “Byojaku” ou “face doente”. Basicamente, o visual Byojaku envolve uma pele pálida, sobrancelhas em modo de preocupação e bochechas e lábios levemente corados. Aparentemente, o visual deve produzir um efeito de “donzela inacessível” e em perigo às mulheres.

6 – Testa de “rosquinha”

A modificação corporal não é uma novidade no mundo. Hoje, a maioria das pessoas que conhecemos possuem piercings ou tatuagens. Porém, são poucas as que adotam formas mais estranhas e extremas da prática, como tatuagem no globo ocular ou, por que não, transformar a testa em uma rosquinha.

 

No Japão, a aparência, que começou a aparecer em meados de 1999, é obtida por meio da injeção de uma solução salina na testa, e o procedimento não é nada barato. Curiosamente, a rosquinha na testa é feita para durar menos de 24 horas. Portanto, quem quiser mantê-la deve refazer a injeção diariamente – e aparentemente ela não representa nenhum risco para a pele.

7- A crise do papel higiênico, 1973

Em 1973, o papel higiênico se tornou o item do ano no Japão. Uma crise associada a produção de petróleo e receios de escassez de papel obrigou os cidadãos japoneses a usarem como papel higiênico tudo o que tivessem em mãos, incluindo lenços faciais, fraldas descartáveis ​​ou absorventes higiênicos.

 

A crise afetou a demanda por itens básicos de consumo, que elevou exponencialmente o preço das coisas. Em algumas partes do país, por exemplo, o preço de um rolo de papel higiênico subiu tanto que as pessoas se viram obrigadas a roubar rolos de prédios públicos.

 

A situação foi tão problemática que em 2014, temendo outro surto do papel, o governo lançou uma campanha de conscientização pública incentivando o estoque de papel higiênico e até mesmo a venda de papeis “de uso emergencial”, especificamente embalado.

8 – Hamuketsu

Hamuketsu é, basicamente, uma mistura de palavras japonesas para hamster e bumbum. Essa “onda” estranha levou a venda de mais de 40.000 cópias de álbuns fotográficos dedicados aos bumbuns de hamsters, bem como a criação de páginas dedicadas ao tema no Facebook.

 

De fato, o bumbum de um hamster é tão popular no Japão que há livros dedicados ao assunto, incluindo um chamado Kawaisa-ni Monzetsu Hamuketsu, que inclui 72 fotos de hamster extremamente fotogênicos e em poses reveladoras. O livro se tornou tão popular que superou o número de 7.000 cópias originalmente impressas, forçando uma reimpressão.

 

Há quem diga que o hamuketsu é apenas mais um desenvolvimento de um aspecto da cultura japonesa conhecido como kawaii, que significa “fofo” ou “adorável“.

9 – Coelhos do mar

Há um gênero de “lesmas marinhas”, nativas do Oceano Pacífico e encontradas nas águas ao norte do Japão, que se tornaram um fenômeno na internet japonesa. Conhecidas como “coelhinhos do mar”, esses nudibrânquios e gastrópodes marinhos possuem a aparência de coelho que algumas pessoas poderiam considerar “fofas”.

 

Conhecido sob o nome científico de rhinophores, eles são capazes de detectar substâncias químicas na água que auxiliam na busca por alimentos e companheiros. Os “coelhos do mar”, no entanto, são extremamente tóxicos e tocá-los pode ser uma má ideia para os seres humanos. Felizmente, a maioria das pessoas se contenta em apenas olhar fotos, de modo que uma página dedicada a criatura foi criada na rede.

10 – Kancho

Trata-se de uma brincadeira popular no Japão em que as pessoas, geralmente crianças, se aproximam furtivamente de uma vítima desavisada, apenas para cutucá-la no traseiro e gritar “kancho”. A brincadeira, que já traumatizou alguns professores, geralmente é bem recebida, embora não seja encorajada.

 

Comum em todo o Japão, o kancho é um exemplo clássico de como culturas podem ser tão diferentes. Isso porque, enquanto no Ocidente poderia ser vista como uma forma de abuso sexual, no Japão é recebida como uma diversão inofensiva.

[ TopTenZ ] [ Fotos: Reprodução / TopTenZ ]

deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado

Você pode usar tags e atributos em HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>