Quando ele esbarrou em uma mulçumana no elevador, preconceituosamente imaginou o pior, mas foi surpreendido no final

de Merelyn Cerqueira 0

islamofobia_01

Infelizmente, o preconceito racial, religioso ou de qualquer outro tipo, ainda é evidente no mundo. Embora quase sempre resulte em situações difíceis, que incluem humilhações e desonras, em casos raros pode sofrer reviravoltas, como na história que você verá a seguir.

 

Em consequência aos ataques terroristas sofridos pelos EUA no fatídico 11 de setembro de 2001, houve um visível aumento em relação ao preconceito religioso, especialmente a islamofobia, um sentimento de repugnância ou repúdio em relação aos mulçumanos ou islamismo em geral. Estes foram intensamente fomentados por estereótipos pregados pelo cinema, especialmente o norte-americano.

islamofobia_torres-gemeas01

Logo, as pessoas passaram a olhar duas vezes mais para homens trajando túnicas e turbantes (murban) e mulheres de burca – e esse preconceito é ainda mais evidente quando estamos falando de aviões ou lugares mais amplos e fechados. Dito isso, no vídeo abaixo, filmado em 2003,dois anos após o 11 de setembro, esse assunto é retratado, mas de uma forma impressionante. Ele mostra um turista entrando em um elevador e se deparando com uma mulher vestida em uma burca preta. A princípio, mostra-se apreensivo pela presença dela. Neste ponto, o elevador começa a apresentar falhas, até que para. Embora tente acionar ajuda, não consegue se livrar da situação.

 

O que se vê é um personagem extremamente desconfortável pela presença de uma mulher trajando vestes que simbolizam o Islã. No entanto, quando tira uma garrafa de água da bolsa, oferece-a a companheira de encarceramento temporário, que só aceita quando ele coloca o objeto no chão. Ela então levanta o tecido do rosto e toma um gole, o que atrai ainda mais a curiosidade do jovem turista. A luz pisca novamente e são ouvidos barulhos de vidro quebrando, mais especificamente o espelho do elevador se quebra e causa um profundo corte na perna do rapaz.

A moça então, em uma atitude impressionante, tira parte de sua burca no rosto e estanca o ferimento, até que um novo barulho indica que o elevador foi concertado. O que podemos considerar aqui é que a moral da história vem por meio de uma dualidade. Enquanto ela sugere que o preconceito, mais especificamente a islamofobia é injustificável, também mostra que, por vezes, é possível ir contra alguns dogmas de uma religião ou crença para salvar a vida de uma pessoa.  

 

Confira o vídeo (em inglês):

[ Ofigenno ] [ Fotos: Reprodução / Ofigenno ]