Mulher tem corpo consumido de dentro para fora e a causa é algo espantoso!

de Merelyn Cerqueira 0

Enquanto estava em uma viagem na Louisiana, Jeanette LeBlanc, 55 anos, de Quinlan, no Texas, EUA, foi hospitalizada com uma infecção bacteriana mortal que contraiu pelo consumo de ostras.

 

Segundo informações da People, ela morreu menos de um mês depois, no dia 15 de outubro, devido a complicações causada pela bactéria que estava comendo seu interior.

 

Eu sou uma pessoa muito otimista, então continuei pensando que ela iria conseguir sobreviver”, disse Vicki Bergquist, 60 anos, esposa de LeBlanc. “Ela foi tão corajosa durante todo o processo. Perder ela foi a parte mais difícil. Nós passávamos todos os dias juntas. Tínhamos uma vida muito boa juntos. Ela sabia o quanto eu a amava”.

mulher-queima_1

O casal estava em Louisiana para cuidar do pai doente de LeBlanc quando decidiu se encontrar com alguns parentes para um passeio de barco para caçar caranguejos. O grupo passou o dia se divertindo no lago Pontchartrain. No caminho de volta para casa, LeBlanc e outros dois parentes pararam para comprar ostras em uma feira em Westwego, e voltaram para casa onde todos se juntariam para comer.

Ela comeu mais do que todos”, Jennifer Bergquist, enteada de LeBlanc. “Ela comeu uma dúzia a mais, e ninguém mais ficou doente“. Dois dias depois, ela foi encontrada pela esposa com dificuldades para respirar. “Ela estava realmente muito mal“, disse Vicki. “Estava tendo dificuldades respiratórias extremas e suas pernas haviam explodido em uma erupção cutânea“.

mulher-queima_2

Vicki levou LeBlanc a um hospital em Baton Rouge, onde os médicos inicialmente pensaram que ela estivesse tendo uma simples reação alérgica. Eventualmente, eles descobriram que ela estava com víbrio, uma infecção bacteriana que ocorre pelo consumo de frutos do mar crus ou malcozidos, ou pela exposição de uma ferida à água do mar, segundo os Centros para Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

A bactéria víbrio infecta as ostras através das águas costeiras onde estas vivem e se alimentam. Os médicos disseram à família que era possível que LeBlanc tenha comido as ostras que carregavam as bactérias nocivas.

mulher-queima_3

Nós realmente não sabíamos nada sobre [víbrio], então pesquisamos e permanecemos otimistas”, disse Jennifer. “Ela piorou progressivamente. Eles nos disseram que suas pernas estavam piorando e era como se sua pele estivesse morrendo. Parecia que algo estava comendo sua pele por dentro”.

LeBlanc ficou internada por 21 dias, período no qual passou por várias cirurgias. Em péssimo estado e incapaz de falar, seus parentes começaram a perder as esperanças, acreditando que ela provavelmente não sobreviveria. “Ela sabia que estava morrendo e entendia perfeitamente o que estava acontecendo”, disse Shannon Rose, outro parente, acrescentando que LeBlanc estava sempre de bom humor. “Um dia, ela disse algo como: ‘Eu vou morrer hoje’”, revelou.

 

Três meses após a morte de LeBlanc, Vicki afirmou que a única coisa que lhe a mantém em pé é cuidar dos pais de sua falecida esposa.

 

Eu tento levar um dia de cada vez. Ainda vou sempre para Louisiana cuidar de seus pais e ficamos todos aflitos juntos“, disse ela. “Olhar para isso e terminar o que Nette (apelido) começou realmente é uma coisa boa me impedir de me concentrar em minha tristeza. Realmente é algo que me ajuda a ser capaz de seguir em frente”.

O que é a víbrio?

Trata-se de um tipo de bactéria em forma de bastonete que também detém uma espécie responsável pela cólera (Vibrio cholerae). Ela é capaz de produzir uma enterotoxina com consequências potencialmente letais. O contágio ocorre pelo consumo de alimentos marinhos contaminados ou contato de feridas abertas com a água do mar infectada, embora possa ser contraída acidentalmente também de outras formas.

[ People / Daily Mail ] [ Fotos: Reprodução / People ]