Misterioso asteroide entrou em nosso Sistema Solar e pesquisadores falam em sinais de tecnologia “extraterrestre”

de Merelyn Cerqueira 0

astronomos-cometa

Um misterioso asteroide interestelar que adentrou nosso Sistema Solar tem intrigado astrônomos.

 

O objeto, que foi chamado de Oumuamua, e é o primeiro do tipo a ser observado no espaço. Agora, uma equipe de cientistas caçadores de “alienígenas” liderados pelo bilionário russo Yuri Milner, está examinando o objeto em busca de sinais de rádio extraterrestre, segundo o Daily Mail.

 

O asteroide, que tem a forma de um charuto, navegou próximo a Terra no mês passado. Agora, antes que o objeto entre em uma região fora do alcance dos telescópios terrestres, a equipe de Milner, que também está por trás do projeto de busca alienígena chamado Breakthrough Listen, decidiu procurar por sinais de rádio, sob a alegação de que o visitante misterioso poderia ser uma nave extraterrestre. A investigação usará o telescópio Green Bank, localizado na Virgínia Ocidental (EUA).

astronomos-cometa_1

“Quanto mais estudamos este objeto, mais incomum me parece, fazendo-me pensar que poderia ser uma sonda artificialmente feita e enviada por uma civilização alienígena“, escreveu em um e-mail para Milner um dos principais cientistas do projeto, o professor Avi Loeb, presidente do departamento de astronomia de Harvard.

 

Loeb acredita ainda que o peculiar formato da rocha espacial é estranho quando comparado aos mais comuns. No entanto, é ideal para uma espaçonave que voa entre sistemas estelares.

 

Pesquisadores que trabalham no transporte espacial de longa distância sugeriram anteriormente que a forma de charuto ou agulha é a arquitetura mais provável para uma nave espacial interestelar, uma vez que isso minimizaria o atrito e os danos causados ​​pelo gás e poeira espacial”, escreveu um porta-voz da Breakthrough Listen em um comunicado. “Embora uma origem natural seja mais provável, atualmente não há consenso sobre o que exatamente seria esta ‘rocha espacial’, e a Breakthrough Listen está bem posicionada para explorar a possibilidade de que Oumuamua possa ser um artefato”.

 

No momento, o objeto está localizado no dobro da distância entre a Terra e o Sol, em um posicionamento em que o Green Bank Telescope ainda é capaz de captar potenciais sinais de rádio. A esperança de Milner é que sua equipe consiga medir o objeto antes que este se afaste ainda mais do alcance do equipamento de varredura. “Seja ele artificial ou não, definitivamente queremos saber mais sobre esse objeto”, disse Milner.

Oumuamua, também conhecido como  C/2017 U1, intrigou cientistas quando passou próximo da Terra a uma velocidade vertiginosa em novembro de 2017. Ele foi descoberto pela primeira vez por um telescópio no Havaí em 18 de outubro de 2017, e foi observado 34 vezes desde então.

 

Viajando a uma velocidade de 44 quilômetros por segundo, o cometa de 400 metros de comprimento está se afastando de nosso Sistema Solar. Seu aspecto alongado é maior do que qualquer outro cometa ou asteroide já observado. No entanto, sua coloração avermelhada e brilho variável são notavelmente semelhantes aos objetos que existem em nosso Sistema Solar.

 

As observações de Milner e sua equipe poderão fornecer novas pistas sobre como os outros sistemas estelares do Universo se formaram.

 

Durante décadas, teorizamos que tais objetos interestelares estão por aí, e agora – pela primeira vez – temos provas diretas de que existem“, disse Thomas Zurbuchen, administrador associado da Direção da Missão de Ciência da NASA, em Washington. “Esta descoberta histórica está abrindo uma nova janela para estudarmos a formação de sistemas solares além do nosso“.

Oumuamua passará por Júpiter neste ano, e em Plutão em 2020.

[ Daily Mail ] [ Foto: Reprodução / Daily Mail ]